Destaques e Imagens

Vovô dos pulsares ainda é páreo para pulsares mais jovens

Pulsar geriátrico ainda é páreo para pulsares mais jovens
[Imagem: NASA/CXC/Penn State/G.Pavlov et al.; IllustrationNULL/CXC/M.Weiss]

os astrônomos descobriram que ele emite energia de forma altamente eficiente do que seus equivalentes mais jovens.

Pulsar mais antigo

O mais antigo pulsar já detectado acaba de ser descoberto pelo Telescópio Chandra, um observatório da NASA que vasculha os confins do Universo utilizando raios X.

O que mais surpreendeu os astrônomos foi que esse "pulsar geriátrico," como eles o estão chamando carinhosamente, é surpreendentemente ativo.

O pulsar PSR J0108-1431 tem uma idade calculada em 200 milhões de anos. Entre os pulsares isolados - aqueles que não fazem parte de um sistema binário - este é 10 vezes mais velho do que mais antigo pulsar anteriormente detectado.

Ele é também um dos pulsares mais próximos da Terra, localizado a uma distância de 770 anos-luz.

Origem dos pulsares

Os pulsares nascem quando estrelas muito maiores do que o Sol entram em colapso, gerando as explosões conhecidas como supernovas. Depois da explosão, resta um núcleo denso incrivelmente pequeno, conhecido como uma estrela de nêutrons.

Ao nascer, essas estrelas de nêutrons, que contêm o material mais denso conhecido no Universo, giram rapidamente, alcançando até uma centena de rotações por segundo.

Observadores distantes, como os astrônomos aqui da Terra, veem seus feixes rotativos de radiação como se fossem pulsos, o que lhes valeu o nome de pulsares.

Vovô muito ativo

À medida que os pulsares esgotam sua energia, sua rotação diminui. O J0108, com seus mais de 200 milhões de anos, gira a pouco de uma rotação por segundo. A surpresa é que ele emite raios X numa intensidade muito maior do que essa idade levaria a supor.

"Este pulsar está emitindo radiação de forma muito mais eficiente do que seus equivalentes mais jovens. Desta forma, embora seu brilho esteja claramente decaindo conforme ele envelhece, ele ainda é páreo para as gerações mais jovens," explica o astrônomo George Pavlov.





Outras notícias sobre:

Mais Temas