Anúncios





Informática

Wi-Fi vira Wi-Vi para espionar pessoas além das paredes

Redação do Site Inovação Tecnológica - 02/07/2013

Wi-Fi vira Wi-Vi para espionar pessoas além das paredes
O "Wi-Vi" baseia-se em um conceito semelhante ao do sonar e do radar de imagem, com a diferença de que ele usa a reflexão de ondas Wi-Fi de baixa potência. [Imagem: Christine Daniloff/MIT]

Espiar os outros parece ser uma das atividades humanas mais antigas, e muitos psicólogos sugerem que isto explica o gosto das multidões pelas novelas, que seriam uma maneira politicamente correta de espionar a vida alheia.

Os cientistas também formam multidões, e há muito tempo tentam usar a tecnologia para ver através das paredes, usando ondas de rádio, técnicas de radar e até a emergente tecnologia das ondas terahertz.

No experimento mais recente, cientistas holandeses haviam demonstrado que é possível fotografar um objeto atrás de uma barreira totalmente opaca.

Então, você não vai se surpreender com o trabalho de Fadel Adib and Dina Katabi, do MIT, nos Estados Unidos.

Eles usaram a tradicional técnica de transmissão de dados sem fio, a Wi-Fi, para criar o "Wi-Vi", um trocadilho para descrever uma tecnologia que usa ondas de rádio de baixa potência para enxergar através das paredes.

Além de evitar os riscos à saúde de uma eventual "visão de raios X", no melhor estilo Super Homem, a nova técnica pode ser incorporada em um aparelho portátil, ou mesmo incorporada em celulares e tablets.

Wi-Vi

O "Wi-Vi" baseia-se em um conceito semelhante ao do sonar e do radar de imagem, com a diferença de que ele usa a reflexão de ondas Wi-Fi de baixa potência.

Os pesquisadores mostraram que é possível rastrear um ser humano mesmo se a pessoa estiver em um quarto fechado ou se escondendo atrás de uma parede.

Wi-Fi vira Wi-Vi para espionar pessoas além das paredes
O sistema possui uma precisão suficiente para indicar o sentido do movimento e movimentos menores, que não envolvem andar. [Imagem: Fadel Adib/Dina Katabi]

Quando um sinal de Wi-Fi atinge uma parede, uma parte dele passa através da parede, refletindo-se nas pessoas do outro lado e retornando. Outra parte do sinal reflete-se na própria parede, e retorna imediatamente.

"Então, o que tivemos que fazer foi desenvolver uma tecnologia que possa cancelar todas essas reflexões, e manter apenas aquelas do ser humano em movimento," disse Katabi.

Para isso, são usadas duas antenas de transmissão e um único receptor.

As duas antenas transmitem sinais idênticos, mas invertidos, o que faz com que os dois sinais interfiram um com o outro, cancelando-se. Se os sinais se refletirem em qualquer objeto parado, a reflexão é idêntica, e os sinais também se anulam.

A única exceção ocorre nas reflexões que se alteram entre os dois sinais, como aquelas geradas por um objeto em movimento.

"Assim, se a pessoa se move atrás da parede, todas as reflexões dos objetos estáticos são canceladas, e a única coisa registrada pelo dispositivo é o movimento humano," explica Adib.

Conforme a pessoa se move através da sala, sua distância em relação ao receptor se altera, ou seja, o tempo que leva para que sinal refletido faça seu caminho de volta para receptor também muda. O sistema utiliza esta informação para calcular onde a pessoa está a cada momento.

Isso torna muito simples o rastreamento de uma pessoa se movimentando detrás de uma parede, dispensando as múltiplas antenas usadas nos esquemas anteriores.

Apesar do sucesso do experimento, os cientistas não souberam indicar nenhuma utilidade prática para sua criação, à exceção de espionar os outros.

Outras notícias sobre:

Mais Temas