Espaço

EUA lançam nave espacial militar não-tripulada

BBC - 23/04/2010

EUA lançam nave espacial militar não-tripulada
Com 9 metros de comprimento, 4,5 metros de envergadura, a nave militar reutilizável tem cerca de um quarto do tamanho dos ônibus espaciais.[Imagem: USAF]

O protótipo de uma espaçonave desenvolvida pela Força Aérea norte-americana foi colocado em órbita nesta quinta-feira.

O X-37B, que parece um ônibus espacial em tamanho reduzido, e sem tripulação, foi lançado do Cabo Canaveral, no Estado americano da Flórida.

Nave espacial autônoma

Com 9 metros de comprimento, 4,5 metros de envergadura, a nave reutilizável tem cerca de um quarto do tamanho dos ônibus espaciais.

O veículo militar não tem piloto e realizará a primeira volta à Terra e aterrissagem autônomas da história do programa espacial norte-americano. A antiga União Soviética já realizou manobras assim como o seu ônibus espacial Buran, que também não tinha tripulação.

E enquanto os ônibus espaciais usam um sistema elétrico baseado em células a combustível, a nova nave militar é alimentada por um painel solar, que se estende quando o veículo está em órbita, e baterias de íons de lítio.

Teste de tecnologias

Os objetivos precisos e os custos do programa são secretos, mas os primeiros voos permitirão que os militares avaliem o desempenho da nave e se certifiquem de que os componentes e sistemas funcionam adequadamente.

EUA lançam nave espacial militar não-tripulada
O X-37B é alimentado por um painel solar, que se estende quando a nave está em órbita, e baterias de íons de lítio. Veja, no detalhe da imagem, a comparação com as dimensões dos ônibus espaciais. [Imagem: USAF]

A Força Aérea (USAF) afirma que o veículo será usado para testar sistemas avançados de orientação, navegação e controle, sistemas de proteção térmica, aviônica e estruturas e selos de alta temperatura.

"A prioridade principal deste primeiro voo é avaliar o próprio veículo", disse Gary Payton, vice-secretário da Força Aérea norte-americana para programas espaciais. "Conseguir colocá-lo em órbita, abrir as portas do compartimento de carga, estender os painéis solares, aprender sobre o controle de altitude em órbita e trazê-lo de volta."

O X-37B foi lançado verticalmente a bordo de um foguete Atlas V.

Voo autônomo

O Pentágono não especificou a duração da missão, mas o X-37B foi projetado para permanecer em órbita por até 270 dias: "Com toda honestidade, não sabemos ao certo quando ele vai voltar. Depende do progresso que fizermos com os experimentos em órbita, as demonstrações em órbita," disse Payton.

Quando a missão for concluída, um comando será enviado a partir da central de controle para que a nave de cinco toneladas acione seu motor traseiro e comece a reentrada na atmosfera.

Ela então navegará de forma autônoma até pousar na pista de 4,5 quilômetros da base aérea de Vandenberg, na Califórnia.

Cópia já encomendada

O X-37B nasceu em 1999 como um programa da agência espacial, mas a Nasa entregou o projeto ao Pentágono em setembro de 2004.

EUA lançam nave espacial militar não-tripulada
O X-37B foi lançado verticalmente a bordo de um foguete Atlas V. [Imagem: USAF]

Com isto, a Força Aérea pode falar abertamente sobre o projeto da nave espacial militar, mas os seus objetivos continuam secretos.

A USAF já solicitou à Boeing, que fabricou o veículo, a construção de uma segunda nave experimental, que deverá estar pronta para o lançamento em 2011.

Militarização do espaço

Especulações sobre os objetivos da nave levaram a acusações de que o projeto seria mais um passo para a militarização do espaço.

"Não sei como isso poderia ser chamado de militarização do espaço. É apenas uma versão atualizada do tipo de atividades que os ônibus espaciais fazem no espaço. Nós, a Força Aérea, temos um conjunto de missões militares no espaço e esse novo veículo poderia potencialmente nos ajudar a realizar melhor essas missões", disse Payton.

A Dra. Joan Johnson-Freese, do Colégio de Guerra Naval, disse que a nave poderia ser potencialmente utilizada foi como uma espécie de satélite manobrável.

Ela disse que os satélites convencionais são vulneráveis a sistemas de mísseis porque eles seguem rotas previsíveis em órbita, e são relativamente fáceis de detectar. O X-37B pode iludir as tentativas de derrubá-lo com armas anti-satélite.

Outras notícias sobre:

Mais Temas