Logotipo do Site Inovação Tecnológica





Meio ambiente

Nova forma de obtenção de água limpa

Redação do Site Inovação Tecnológica - 13/03/2003

Nova forma de obtenção de água limpa

Pesquisadores do Georgia Institute of Technology (Estados Unidos), desenvolveram um novo método para desinfetar água utilizada no processamento e fabricação de alimentos. O novo método, além de mais eficiente, é mais barato do que os métodos atualmente disponíveis.

Tal como as atuais tecnologias, o novo sistema utiliza radiação ultravioleta para eliminar microorganismos, vírus e bactérias. Mas o novo sistema manipula a água de forma mais eficiente, melhorando a eficácia do processo de desinfecção.

"Nós criamos um padrão de mistura que garante que cada partícula de água é igualmente exposta à lâmpada ultravioleta," disse John Pierson, um dos pesquisadores que participaram do projeto. "Ao fazer um trabalho melhor na mistura da água, você pode conseguir uma melhor desinfecção," acrescenta ele.

Para que a água utilizada no processamento de alimentos possa ser reutilizada, ela deve antes ser desinfetada. Em muitos casos, a falta de um método efetivo, e com adequada relação custo-benefício, faz com que a água seja utilizada apenas uma vez e descartada.

A maioria dos sistemas atualmente disponíveis bombeia a água através de canos com inúmeras lâmpadas ultravioleta. As lâmpadas tendem a sujar-se rapidamente, reduzindo sua eficiência e requerendo constante limpeza e substituição. Ainda pior, a luz ultravioleta tem pequeno poder de penetração, cerca de uma polegada apenas; isto exige que a água circule por longos canos para aumentar a chance de que a luz incida sobre toda a água. "A água que entra em contato com a lâmpada é tratada, enquanto que aquela que passa distante é menos tratada, ou mesmo nem é tratada," explica Pierson.

O coração do novo sistema é um par de cilindros, um dentro do outro. O cilindro menor gira no interior do cilindro maior estacionário, enquanto a água é bombeada através do espaço existente entre os dois. Nesse espaço, a rotação do cilindro menor faz com que a água se agite e circule, em um fenômeno conhecido como vórtex de Taylor. São na verdade vários turbilhões, que expõem a água á luz ultravioleta de lâmpadas colocadas no lado externo do cilindro.

A água penetra inteiramente na água, eliminando a necessidade de ciclos adicionais de passagem da água pelo sistema. Em comparação com os sistemas tradicionais, poucas lâmpadas são necessárias, economizando energia. Além disso, o turbilhão diminui a sujeira que se acumula sobre as lâmpadas.

"Mesmo que o fluido absorva a radiação, o que normalmente limita a penetração da luz ultravioleta e, portanto, a eficácia dos reatores convencionais, o movimento do turbilhão expõe continuamente novo fluido à superfície de radiação," explica Forney, outro membro da equipe.

O equipamento é relativamente simples. Sua baixa taxa de rotação, cerca de uma volta por segundo, elimina a necessidade de rolamentos ou selos mecânicos especiais. Ele foi projetado para reciclar água da lavagem de frutas e vegetais em plantas de processamento de alimentos, mas pode também ser utilizado em outros processos industriais.

Na verdade, qualquer fluido pode passar pelo processamento, seja ele oriundo da lavagem de frutas e vegetais, de vasilhames ou mesmo substituindo a pasteurização: como se trata de um procedimento não termal, o processo não influencia o sabor do material tratado.







Outras notícias sobre:
  • Filtragem
  • Fotônica

Mais tópicos