Robótica

Aperto de mão interoceânico

Pesquisas em robótica e realidade virtual uniram-se para permitir o primeiro aperto de mãos transatlântico. Uma equipe norte-americana ("Massachusetts Institute of Technology") e outra inglesa ("University College London") uniram-se para tornar realidade algo como o "hands across the water" cantado por Paul McCartney. Um cientista nos Estados Unidos pode literalmente sentir o toque de seu colega britânico, na medida em que cada um manipulava uma pequena caixa virtual na tela de um computador.

As aplicações para tal dispositivo são inúmeras. "Além de som e visão, os programas de realidade virtual poderão incluir também o toque." disse o Dr. Mandayam A. Srinivasan, líder da equipe norte-americana.

Imagine a sensação do toque para um cirurgião praticando telemedicina. O que dizer de artistas de várias partes do mundo trabalhando em conjunto em uma mesma escultura? Eles poderão criar diferentes formas, cores, sons e texturas acessíveis através da Internet. Estudantes em uma sala de aula de Física poderão "sentir" as forças no interior do núcleo de um átomo. E tudo poderá ser distribuído e acessível simultaneamente através de uma rede de computadores ou da Internet. "Nós realmente não sabemos todas as aplicações potenciais." concluiu o Dr. Srinivasan. "Da mesma forma que [Graham] Bell não previu todas as aplicações para o telefone."

A sensação do toque é o mais difícil de simular dentre todos os aspectos de um ambiente de realidade virtual. Mas as pesquisas estão dando os primeiros resultados concretos. A experiência envolve um computador e um pequeno braço robótico que toma o lugar do mouse. Um usuário pode manipular o braço simplesmente movimentando sua extremidade. O sistema cria a sensação do toque ao exercer um força nos dedos do usuário de forma precisamente controlada. O braço foi criado nos laboratórios do MIT e está disponível comercialmente. (veja aqui a notícia de seu lançamento.) Apenas o software foi modificado para que se conseguisse fazer a interação através de um link da Internet.

Na tela do computador cada usuário vê uma sala tridimensional. Dentro da sala há uma caixa preta e dois pequenos pontos quadrados que mostram onde cada um dos usuários está na sala. Eles podem então utilizar o braço robótico para, conjuntamente, mover a caixa.

É aí que entra a sensação do toque. Quando um pesquisador nos Estados Unidos moveu o braço robótico, fazendo também com que o ponto correspondente se movesse na tela, ele pode "sentir" a caixa, que tem a textura de uma borracha dura. O pesquisador em Londres, por sua vez, fez o mesmo. Eles tentaram, ao mesmo tempo, mover a caixa, cada um de um lado. Cada um dos pesquisadores pode sentir a força criada pela manipulação que o outro cientista estava fazendo do outro lado do Atlântico. A sensação é tão real que um usuário que não conhecia o sistema, ao participar da experiência, foi literalmente empurrado para trás.

Agora os pesquisadores irão trabalhar para eliminar o tempo de resposta que o tráfego na Internet gera. Ainda há uma significativa demora entre a ação de um dos usuários e a sensação correspondente chegar ao usuário do outro lado. As tarefas têm que ser feitas muito lentamente, para que não se perca o sincronismo. Enquanto que um toque humano na mão de uma pessoa leva cerca de 30 milisegundos para chegar ao cérebro, o tráfego na Internet exige de 150 a 200 milisegundos para que o comando de um lado do Atlântico chegue ao outro.





Outras notícias sobre:

Mais Temas