Logotipo do Site Inovação Tecnológica





Espaço

Avião hipersônico X43-A quebra recorde mundial de velocidade

Redação do Site Inovação Tecnológica - 29/03/2004

Avião hipersônico X43-A quebra recorde mundial de velocidade

Recorde hipersônico

O veículo hipersônico X-43A, da NASA, conseguiu bater o recorde mundial de velocidade, ao atingir a velocidade de 8.595 km/hora ou Mach 7.

O X-43A é o primeiro avião a utilizar a tecnologia chamada estatojato ("scramjet"), que teoricamente poderá fazer um avião voar a até Mach 10, ou 12.250 km/h.

Este é o segundo avião da série, já que o primeiro, em 2.001, não conseguiu se desprender do foguete, que apresentou defeito e teve que ser destruído.

Estatojato

A tecnologia estatojato utiliza o ar da atmosfera, ou seja, ela não pode ser aplicada no espaço. Apesar disto, espera-se que ela permita o barateamento da colocação de naves e satélites em órbita ao se aproximar da velocidade de escape da gravidade terrestre. Os foguetes só teriam que ser ligados na alta atmosfera e, como já estarão em altíssima velocidade, poderão levar pouco combustível.

Ao contrário das turbinas comuns de avião, a turbina do estatojato não possui partes móveis. A própria velocidade do avião se incumbe de pressionar o ar para dentro da turbina, que é então utilizado para queimar hidrogênio, o combustível utilizado pelo X43-A.

Avião hipersônico X43-A quebra recorde mundial de velocidade
O avião hipersônico é apenas a extremidade dianteira do foguete.
[Imagem: NASA]

Avião a hidrogênio

Embora a imprensa não especializada tenha mostrado várias vezes um filme da NASA, no qual aparece um foguete sendo liberado da asa de um avião, deve-se perceber que o X-43A é apenas aquela parte negra na ponta do foguete Pegasus.

O protótipo de avião hipersônico mede apenas 3,65 metros de comprimento, e pode ser visto conectado na ponta do foguete. O foguete é necessário para acelerar o X43-A até uma velocidade em que o princípio do estatojato começa a funcionar.

Como o avião é pequeno, ele levava também pouco combustível. O hidrogênio em seus tanques foi suficiente para um voo de apenas 10 segundos, mas o suficiente para atingir a velocidade Mach 7.

Depois de acabar o combustível, a NASA testou ainda várias manobras durante a descida do X43A, para verificar a capacidade de navegação e controle sobre a aerodinâmica do avião. O voo de descida durou cerca de 6 minutos e acabou com um mergulho no Oceano Pacífico.







Outras notícias sobre:
  • Aviões
  • Motores
  • Foguetes
  • Veículos Híbridos e Elétricos

Mais tópicos