Robótica

Andador inteligente é opção eficiente e mais barata do que robôs

Redação do Site Inovação Tecnológica - 14/11/2008

Andador inteligente é opção eficiente e mais barata do que robôs
[Imagem: Universitat Politècnica de Catalunya]

Embora os robôs assistentes e os robôs enfermeiros já acenem no horizonte, muitos casos de reabilitação física podem ser resolvidos com uma abordagem mais simples, ainda que incorporando os mais modernos avanços da tecnologia.

Andador inteligente

Foi esta a idéia dos engenheiros Ulises Cortés e Antonio Martínez, da Universidade da Catalunha, na Espanha. Eles construíram um andador inteligente. O andador é um utensílio de apoio e sustentação muito utilizado em hospitais e no amparo ao caminhar de pessoas idosas.

Enquanto um andador tradicional nada mais é do que uma estrutura tubular de apoio, o i-Walker, que é nome de batismo do novo andador high-tech, pode "pensar por si mesmo," reagindo às condições do ambiente e comunicando-se com o usuário.

Movimentação de robô

O andador inteligente entende uma série de comandos de voz e pode ser ativado por instruções verbais pré-programadas - "leve-me até a cozinha", por exemplo. Para isso ele é dotado de rodas e todo o sistema de movimentação autônoma típica de um robô. O equipamento usa um acelerômetro para detectar possíveis quedas, corrigir itinerários e controlar as curvas e a frenagem.

Agentes inteligentes

O sistema de controle do i-Walker também não deixa nada a dever aos mais avançados robôs. Ele é baseado na chamada tecnologias de sistemas multiagentes inteligentes - agentes são programas de computador capazes de observar e interagir com o seu ambiente de forma independente e proativa.

Graças à sua constituição baseada em inteligência artificial, esse tipo de programa é capaz de aprender à medida que interage com o ambiente e se comunica com o usuário. Com isto, o andador inteligente adapta-se às exigências específicas do seu usuário, o que o ajuda a se antecipar às suas eventuais necessidades.

Reabilitação na fisioterapia

O i-Walker também poderá ser usado para reabilitação e como ferramenta auxiliar da fisioterapia, ajudando na recuperação e no reforço das capacidades motoras de indivíduos acidentados ou que foram submetidos a cirurgias.

O "cérebro" do andador inteligente permite que o médico dose parâmetros que devem ser acompanhados na recuperação do paciente, como a quantidade de esforço a ser feito e a distância a ser percorrida. O próprio i-Walker calcula e grava a quantidade de calorias gastas pelo usuário.

O sistema por enquanto está na fase de protótipo e ainda não há previsão de sua disponibilização comercial.





Outras notícias sobre:

    Mais Temas