Espaço

Buraco negro engole estrela e dispara um arroto

Redação do Site Inovação Tecnológica - 30/11/2015

Buraco negro
Concepção artística de uma estrela sendo atraída para um buraco negro e destruída (à esquerda). A seguir, o buraco negro emite um "jato" de plasma composto por detritos deixados pela destruição da estrela.[Imagem: Amadeo Bachar]

Buraco negro emitindo matéria

Uma equipe internacional de astrofísicos flagrou pela primeira vez um buraco negro engolindo uma estrela e emitindo um "arroto" na forma de um fluxo de matéria movendo-se a uma velocidade próxima à da luz.

A princípio, matéria ejetada de um buraco negro desafia as teorias mais tradicionais sobre esses fenômenos ainda pouco compreendidos. Contudo, atualmente os físicos já aceitam a ideia de que seja possível escapar de um buraco negro.

A equipe rastreou a estrela - mais ou menos do tamanho do nosso Sol - conforme ela saía da sua trajetória normal e deslizava para dentro do raio de atração gravitacional de um buraco negro, sendo finalmente sugada.

Isso, por si só, já seria uma observação extremamente interessante. Mas o melhor ainda estava por vir, quando a equipe detectou um jato de matéria saindo da região do buraco negro.

"Estes eventos são extremamente raros. É a primeira vez que vemos tudo, desde a destruição estelar até o lançamento de um fluxo cônico, também chamado de jato, e assistimos tudo se desenrolando ao longo de vários meses," disse Sjoert van Velzen, da Universidade Johns Hopkins, nos EUA.

Buraco negro
O jato emitido por um buraco negro já havia sido captado em 2011, mas não envolvia uma estrela sendo engolida. [Imagem: ESO/WFIAPEX et al.]

Buracos nas teorias

Buracos negros são regiões do espaço tão densas que a força gravitacional impede que matéria, gás e até mesmo a luz escapem, tornando-os invisíveis e, hipoteticamente, criando o efeito de um vazio no tecido do espaço - a observação direta desse vazio é um dos grandes sonhos de qualquer astrofísico.

Os teóricos já haviam levantado a hipótese de que, quando um buraco negro engole um corpo celeste do tamanho de uma estrela, poderia ser liberado um jato de material a partir do seu horizonte de eventos. Esta observação sugere que esta previsão está correta.

O dado observacional é de enorme importância nesse campo, permeado por inúmeras teorias conflitantes, incluindo as muitas que dizem que buracos negros nem sequer existem:

"A destruição de uma estrela por um buraco negro é magnificamente complicada, e longe de ser compreendida," concorda van Velzen. "A partir de nossas observações, aprendemos que os fluxos de detritos estelares podem se organizar e formar um jato muito rapidamente, o que é uma valiosa contribuição para a construção de uma teoria completa desses eventos."

Bibliografia:

A radio jet from the optical and X-ray bright stellar tidal disruption flare ASASSN-14li
S. van Velzen, G. E. Anderson, N. C. Stone, M. Fraser, T. Wevers, B. D. Metzger, P. G. Jonker, A. J. van der Horst, T. D. Staley, A. J. Mendez, J. C. A. Miller-Jones, S. T. Hodgkin, H. C. Campbell, R. P. Fender
Science
Vol.: Published online
DOI: 10.1126/science.aad1182




Outras notícias sobre:

    Mais Temas