Logotipo do Site Inovação Tecnológica





Plantão

Cientistas brasileiros ganham Prêmio Ig Nobel de Arqueologia

Redação do Site Inovação Tecnológica - 03/10/2008

Cientistas brasileiros ganham Prêmio Ig Nobel de Arqueologia
Troféu recebido pelos ganhadores do Prêmio Ig Nobel
[Imagem: Improbable Research]

Ainda não é um Prêmio Nobel real, daqueles concedidos pela Academia Sueca de Ciências. Mas dois pesquisadores brasileiros já podem se gabar de serem os primeiros agraciados com o Prêmio Ig Nobel, distribuído anualmente pela revista Anais das Pesquisas Improváveis.

O prêmio, que já está em sua 18ª edição, foi distribuído em 9 categorias. Segundo seus organizadores, além de divertir, o Prêmio Ig Nobel foi criado para "honrar façanhas que primeiro nos fazem rir e depois pensar."

Ig Nobel de Arqueologia vai para brasileiros

Astolfo G. Mello Araújo, da USP, e José Carlos Marcelino, do Departamento do Patrimônio Histórico de São Paulo, ganharam o Prêmio Ig Nobel de Arqueologia pelo trabalho O papel dos tatus no movimento dos materiais arqueológicos: uma abordagem experimental, publicado na revista Geoarchaeology, em Abril de 2003.

Na pesquisa, Astolfo e José Carlos chegam a quatro conclusões principais:

  • o movimento vertical dos artefatos, feito pelos tatus, não apresenta direção preferencial;
  • os horizontes culturais dispersos em camadas estratigráficas separadas por até 20 centímetros podem ser misturados pelos tatus;
  • a atividade dos tatus deixa traços característicos (buracos) que podem ser reconhecidos durante uma escavação;
  • não há correlação significativa entre o tamanho, o formato ou o peso dos artefatos e a sua mudança de local.

Outros ganhadores do Ig Nobel

O Ig Nobel de Biologia foi dividido entre Marie-Christine Cadiergues, Christel Joubert e Michel Franc, da Escola de Veterinária de Toulouse, que conseguiram provar que as as pulgas que vivem nos cães saltam mais alto do que as pulgas que vivem nos gatos. O artigo foi publicado na revista científica Veterinary Parasitology em 2000.

O Ig Nobel da Nutrição foi para Massimiliano Zampini, da Universidade de Trento, na Itália, e Charles Spence, da Universidade de Oxford, na Inglaterra, pela modificação eletrônica do som de uma batata frita para que ela pareça mais fresca e crocante do que realmente é. O estudo foi publicado no Journal of Sensory Studies, em 2004.

O Ig Nobel de Economia foi para Geoffrey Miller, Joshua Tybur e Brent Jordan, da Universidade do Novo México, nos Estados Unidos, que provaram que dançarinas de striptease ganham mais gorjetas quando estão em período de ovulação.

O Ig Nobel de Química premiou duas pesquisas conflitantes. Segundo o anúncio feito durante a cerimônia, o Ig Nobel de Química "Vai para Sheree Umpierre, Joseph Hill e Deborah Anderson (dos Estados Unidos) por descobrirem que a Coca-Cola é um espermicida eficaz; e (de Taiwan) para Chuang-Ye Hong, C.C. Shieh, P. Wu and Benjamin Chiang por descobrirem que ela não é." A primeira pesquisa foi publicada no The New England Journal of Medicine.
A segunda pesquisa, que desmente a primeira, foi feita por pesquisadores da Universidade Médica de Taipei, em Taiwan, e publicada no periódico Human Toxicology.

O Ig Nobel de Medicina foi para Dan Ariely, da Universidade Duke, nos Estados Unidos, por uma pesquisa que demonstrou que os remédios falsificados mais caros produzem mais efeito do que os remédios falsificados mais baratos. O artigo foi publicado no Journal of the American Medical Association em 2008.

O Ig Nobel de Ciência Cognitiva foi para quatro cientistas japoneses e um húngaro que descobriram que os micetozoários, um espécie de ameba, conseguem resolver quebra-cabeças. O artigo foi publicado na revista Nature, em 2000. Toshiyuki Nakagaki é da Universidade de Hokkaido, Hiroyasu Yamada é da Universidade de Hiroshima, Atsushi Tero e Akio Ishiguro são da Universidade de Tohoku, e Ágotá Tóth é da Universidade de Szeged.

O Ig Nobel de Física foi para Dorian Raymer, do Instituto Oceanográfico Scripps, e Douglas Smith, da Universidade da Califórnia, que conseguiram provar matematicamente que cabos, cordas e fios de cabelo acabam inevitavelmente por se embaraçar. Seu artigo foi publicado no periódico científico Proceedings of the National Academy of Sciences, em 2007.

O Ig Nobel da Literatura foi para David Sims da Cass Business School, na Inglaterra, por uma pesquisa que prova porque existem pessoas de mau-caráter no ambiente de trabalho, publicado na revista Organization Studies, em 2005. O título do trabalho é You Bastard: A Narrative Exploration of the Experience of Indignation within Organizations (Seu Filho da Mãe: Uma Exploração Narrativa da Experiência da Indignação Dentro das Organizações).

E, finalmente, o Ig Nobel da Paz foi para o Comitê Federal Suíço de Ética Para a Biologia Não-humana, pela adoção do princípio de que as plantas têm dignidade. Em um documento intitulado The dignity of living beings with regard to plants, o Comitê conclui que causar danos arbitrários às plantas é moralmente inaceitável. Segundo a "academia das ciências improváveis," as pessoas de todo o mundo devem agradecer ao comitê por terem uma desculpa para deixarem de cortar a grama dos seus jardins.

Bibliografia:

Artigo: The role of armadillos in the movement of archaeological materials: An experimental approach
Autores: Astolfo G. Mello Araujo, José Carlos Marcelino
Revista: Geoarchaeology
Data: April 2003
Vol.: 18, Issue 4 - Pages: 433-460
DOI: 10.1002/gea.10070






Outras notícias sobre:
  • Sites de Pesquisa
  • Políticas de Ciência e Tecnologia
  • Investimentos
  • Eventos Científicos

Mais tópicos