Plantão

iPad terá cursos gratuitos de grandes universidades

iPad terá cursos gratuitos de grandes universidades
A comunidade acadêmica vê com cautela os esforços da iPad para entrar no mercado educacional. [Imagem: Apple]

Tablet educativo

A gigante da tecnologia Apple apresentou, na semana passada, duas iniciativas para atrair estudantes e professores para seus equipamentos móveis - o telefone iPhone e, principalmente, o tablet iPad.

Uma delas é a oferta de cursos livres e gratuitos, com recursos multimídia. Entre as universidades que já se comprometeram a criar conteúdo para o ambiente virtual da empresa estão instituições como Stanford, Yale e o MIT, além de várias universidades comunitárias.

Os cursos, compostos por textos, imagens e vídeos, incluindo gravações de aulas e palestras, são oferecidos por meio de um aplicativo que pode ser baixado gratuitamente para os equipamentos da marca: o "iTunes U".

Entre o material já disponível, há um curso de Conceitos Fundamentais de Química, oferecido pela Universidade Duke, e um sobre a guerra de independência dos Estados Unidos, de Yale.

Educação proprietária

Um sistema online, o iTunes U Manager, permite que universidades ou autoridades educacionais credenciadas criem cursos para disponibilização pelo sistema, mas o Brasil não é um dos países onde o recurso se encontra disponível, no momento. O único país latino-americano que consta da lista apresentada no site da empresa é o México.

Críticos chamam atenção para o fato de que, embora os cursos sejam livres e gratuitos, a plataforma tecnológica necessária para acessá-los não é nem uma coisa, nem outra: ao contrário de programas criados para sistemas como o Android ou o Windows, que podem ser usados em equipamentos de diversas marcas, o conteúdo da Apple é exclusivo para máquinas Apple.

Essa mesma limitação fez com que a segunda iniciativa da empresa na seara da educação, também anunciada em janeiro, a tentativa de atrair para dentro do iPad o conteúdo dos livros didáticos usados em escolas e universidades, fosse recebida com cautela, tanto pelo mercado quanto por estudiosos.

Livros didáticos para iPad

Agora, a iBookstore, livraria virtual da empresa, passa a contar com uma seção de livros-texto, que oferecerá versões multimídia e interativas obras de grandes editoras internacionais do setor.

Além disso, um programa chamado iBooks Author, que pode ser baixado para tablets iPad, permite que autores escrevam livros didáticos já com os recursos interativos integrados, especialmente para a plataforma da companhia.

Embora o iBooks Author seja gratuito, seu uso obriga o autor a só vender e distribuir a obra por meio dos canais fornecidos pela Apple.

Mercado

Especialistas ouvidos pela National Public Radio (NPR) dos EUA mostraram-se preocupados com o efeito da iniciativa na questão da exclusão digital: ou apenas os alunos ricos terão acesso aos novos recursos embutidos nos livros didáticos interativos, ou as escolas públicas serão obrigadas a comprar equipamentos Apple e distribuí-los livremente em suas classes.

Esse mesmo problema, ponderam os analistas, poderá dificultar a adoção da nova plataforma pelo mercado editorial, pelos órgãos reguladores que definem os livros usados nos ensinos médio e fundamental e, o mais importante, pelas próprias escolas.





Outras notícias sobre:

    Mais Temas