Materiais Avançados

Descoberto como dissolver madeira de forma ambientalmente benigna

Cientistas descobrem como dissolver madeira de forma ambientalmente benigna
A nova técnica utiliza líquidos iônicos para dissolver cavacos de madeira, em um processo que exige condições relativamente amenas de temperatura e pressão.[Imagem: UILL/QUB]

Cientistas da Universidade Queens, no Reino Unido, descobriram uma forma não poluente de dissolver madeira, possibilitando transformá-la em produtos tão diversos quanto biocombustíveis, tecidos e papel.

Hoje, a técnica de quebra química da madeira é possível por meio de um método criado no século XIX, chamado processo Kraft, que gera uma série de subprodutos nocivos ao meio ambiente. Ainda assim, ele é tolerado porque não há alternativas.

Lignina e celulose

A nova técnica utiliza líquidos iônicos para dissolver cavacos de madeira, em um processo que exige condições relativamente amenas de temperatura e pressão. Controlando a adição de água e de uma solução de acetona, a madeira dissolvida foi parcialmente separada em lignina pura e em uma solução rica em celulose.

"Esta é uma descoberta muito importante porque a celulose e a lignina têm uma grande variedade de utilizações. A celulose pode ser usada para fazer papel, biocombustíveis e fibras para tecidos, assim como ser a base para outros materiais e compostos químicos," explica o professor Robin Rogers, um dos autores da descoberta.

"A lignina pode ser usada para fabricar aditivos, como o reforço estrutural de peças de carros e aviões com uma fração do peso dos materiais de reforço atuais. Ela é também uma fonte de outros químicos que hoje são obtidos principalmente a partir do petróleo," complementou Rogers.

Biorrefinaria

Os pesquisadores acreditam que o seu trabalho é um passo importante rumo ao desenvolvimento do conceito de biorrefinaria, onde a biomassa poderá ser transformada em uma grande variedade de químicos. A biorrefinaria usa biomassa, ao contrário das refinarias atuais, que usam petróleo e gás natural.

Agora os pesquisadores querem aprimorar sua técnica, estudando a adição de catalisadores para otimizar as reações, assim como acrescentar aos líquidos iônicos outros aditivos ambientalmente benignos, que poderão eventualmente otimizar o processo.

Eles acreditam também ser possível atingir uma melhor dissolução da madeira mesmo sob condições ainda mais amenas - pressão e temperaturas mais baixas. Outro foco da pesquisa é a tentativa de alcançar a separação completa dos diversos elementos em um único passo.

Outras pesquisas na área

Diversos grupos ao redor do mundo estão trabalhando na criação de processos que viabilizem as biorrefinarias. No ano passado, pesquisadores chineses deram um passo essencial para a produção de biocombustíveis a partir da celulose.

Outros estão trabalhando diretamente com os líquidos iônicos - veja, por exemplo, Líquidos iônicos poderão revolucionar o uso de solventes na indústria e Líquidos iônicos ambientalmente corretos poderão substituir solventes.





Outras notícias sobre:

    Mais Temas