Eletrônica

Encontrada solução para curtos-circuitos da eletrônica molecular

Grafeno permite criação de componentes eletrônicos moleculares
O grafeno forma uma tela protetora que isola as moléculas e permite que seu funcionamento como componentes eletrônicos não seja curto-circuitado. [Imagem: KU]

Plataforma molecular

Pesquisadores da Universidade de Copenhague desenvolveram uma nova plataforma que pode ser usada para o desenvolvimento de componentes eletrônicos moleculares.

E, ao mesmo tempo, eles resolveram um problema que vem desafiando pesquisadores de todo o mundo há pelo menos uma década.

Mais de 10 anos atrás, quando começou a se proclamar que a nanotecnologia poderia revolucionar a tecnologia dos computadores, isto se deveu em parte porque se imaginava que estivéssemos a um passo de desenvolver a eletrônica molecular.

A eletrônica molecular envolve a substituição dos componentes eletrônicos tradicionais, como os transistores, por moléculas, criando minúsculos circuitos eletrônicos para cumprir exatamente as mesmas funções dos computadores e outros aparelhos.

Desafios da eletrônica molecular

Já foram criados inúmeros componentes eletrônicos moleculares, perfeitamente funcionais. Mas interligá-los para criar circuitos maiores não tem-se mostrado fácil.

Esse desafio mostrou-se maior do que o previsto inicialmente, em parte porque os componentes eletrônicos moleculares curto-circuitam quando as moléculas são conectadas aos eletrodos necessários para lhes levar a energia e para ler seus cálculos.

Foi necessário esperar pela descoberta do agora chamado material-maravilha, o grafeno, que se tornou a base da plataforma nanotecnológica agora criada pelos cientistas dinamarqueses.

"Nós agora podemos colocar uma das nossas lâminas de grafeno por cima das moléculas, protegendo o sistema dos curtos-circuitos. Foi assim que desenvolvemos uma nova plataforma tecnológica para uso no desenvolvimento de novos componentes eletrônicos baseados em moléculas," disse Kasper Norgaard.

Novos caminhos

O pesquisador explica que sua equipe agora está tentando utilizar moléculas com diferentes propriedades sobre a plataforma de grafeno - por exemplo, moléculas que podem alternar entre condutoras e não-condutoras.

Isso abrirá o caminho para a eletrônica do futuro em áreas como novas tecnologia de memória, telas ultrafinas e células solares mais eficientes.

Contanto que outro desafio igualmente íngreme quanto os curtos-circuitos moleculares não surja pela frente dessa área tão promissora.

Bibliografia:

Solution-Processed Ultrathin Chemically Derived Graphene Films as Soft Top Contacts for Solid-State Molecular Electronic Junctions
Tao Li, Jonas Rahlf Hauptmann, Zhongming Wei, Søren Petersen, Nicolas Bovet, Tom Vosch, Jesper Nygard, Wenping Hu, Yunqi Liu, Thomas Bjornholm, Kasper Norgaard, Bo W. Laursen
Advanced Materials
Vol.: 24, Issue 10, pages 1333-1339
DOI: 10.1002/adma.201104550




Outras notícias sobre:

    Mais Temas