Robótica

Inteligência Artificial precisa ser socialmente responsável

Inteligência Artificial precisa ser socialmente responsável, diz relatório
Já existem grupos de pesquisa concentrados na chamada inteligência artificial do bem, focada em programas que aprendem a cooperar, negociar e transigir para chegar a uma posição comum.[Imagem: CC0 Creative Commons/Pixabay]

Inteligência com justiça social

O desenvolvimento de novas tecnologias de inteligência artificial está sujeita a vieses e os sistemas resultantes podem ser discriminatórios, significando que deve haver mais empenho por parte dos formuladores de políticas para garantir que esses desenvolvimentos sejam democráticos e socialmente responsáveis.

Esse é um resumo que a Dra. Barbara Ribeiro, do Instituto de Inovação da Universidade de Manchester, no Reino Unido, faz de um relatório que um grupo de 19 especialistas elaborou sobre as oportunidades e os riscos dos desenvolvimentos no campo da inteligência artificial e da robótica.

Como o investimento nessas tecnologias será essencialmente pago pelos contribuintes no longo prazo, diz o relatório, os formuladores de políticas precisam garantir que os benefícios de tais tecnologias sejam distribuídos de forma justa por toda a sociedade.

"Garantir a justiça social no desenvolvimento da inteligência artificial é essencial. Tecnologias de inteligência artificial dependem dos megadados e do uso de algoritmos que influenciam a tomada de decisões na vida pública e em questões como bem-estar social, segurança pública e planejamento urbano.

"Nesses processos de tomada de decisão baseados em dados, alguns grupos sociais podem ser excluídos, seja porque não têm acesso aos dispositivos necessários para participar ou porque os conjuntos de dados selecionados não consideram as necessidades, preferências e interesses das pessoas marginalizadas e desfavorecidas," disse Barbara.

IA e robótica

O relatório foi elaborado para ajudar empregadores, reguladores e formuladores de políticas a entender os efeitos potenciais da inteligência artificial em áreas como indústria, saúde, pesquisa e política internacional.

O documento também avança em direção ao campo da robótica, explicando as diferenças e semelhanças entre as duas áreas separadas de pesquisa e desenvolvimento e os desafios que os formuladores de políticas enfrentam em cada uma delas.

O documento, em inglês, está disponível online (veja bibliografia abaixo).

Bibliografia:

On AI and Robotics
Steve Furber et al.
Online
https://policyatmanchester.shorthandstories.com/on_ai_and_robotics/index.html




Outras notícias sobre:

    Mais Temas