Informática

Mochila usa laser para mapear interior de edifícios

Mochila usa laser para mapear interior de edifícios
Os cientistas vislumbram o uso da tecnologia para modelar prédios inteiros e para criar visualizações interativas que permitirão que os usuários "andem" pelos edifícios sem precisarem estar fisicamente lá.[Imagem: John Kua]

Estagiários do Google Street View logo poderão começar a mapear o interior de prédios e edifícios, onde os veículos não conseguem entrar - quem sabe criando um Google Indoor View.

Para isso, eles só precisarão usar uma "pequena" mochila criada por pesquisadores da Universidade da Califórnia em Berkeley, nos Estados Unidos.

Mochila cartógrafa

A mochila usa um sistema a laser para fazer o mapeamento 3D de ambientes internos, criando modelos tridimensionais realísticos do interior das construções.

Segundo os pesquisadores, a mochila é apenas o primeiro de uma série de sistemas similares totalmente portáteis, que funcionarão sem depender de robôs ou veículos, como os atuais.

A mochila de mapeamento opera em alta velocidade, capturando os dados enquanto o operador humano anda em ritmo normal. Os sistemas atuais, todos motorizados, levam dias ou até semanas para mapear o interior de um edifício.

Fusão de dados

"Nós também desenvolvemos novos algoritmos de fusão dos dados dos sensores que usam câmeras, rastreadores a laser e unidades de medição inercial para gerar um modelo 3D texturizado e fotorrealístico," diz o Dr. Avideh Zakhor, que coordenou o desenvolvimento da mochila.

Segundo ele, o maior desafio foi operar sem o uso do GPS, já que os receptores não funcionam em ambientes internos.

O uso de vários sensores facilita o processo de modelagem, mas exige que os dados dos vários sensores sejam registrados perfeitamente fundidos uns com os outros, a fim de gerar modelos precisos e perfeitamente alinhados.

Embora ressaltem que o sistema ainda precisa de aperfeiçoamento, os cientistas vislumbram o uso da tecnologia para modelar prédios inteiros e para criar visualizações interativas que permitirão que os usuários "andem" pelos edifícios sem precisarem estar fisicamente lá.





Outras notícias sobre:

    Mais Temas