Nanotecnologia

Nanoposicionador move objetos com precisão atômica

Nanoposicionador move objetos com precisão atômica
Esquema do nanoposicionador com precisão atômica, que poderá ser utilizado em sensores biológicos, cabeças de leitura de discos rígidos, entre outras aplicações.[Imagem: Birck Nanotechnology Center, Purdue University]

A nanotecnologia já permite há algum tempo a manipulação de átomos e moléculas individuais. Essa manipulação, até agora, envolve basicamente um aparato no qual os átomos e moléculas estão fixos e o equipamento é que se move.

Isso restringe enormemente a flexibilidade à disposição dos pesquisadores e, principalmente, torna qualquer processo de pesquisa muito lento.

Nanoposicionador com precisão atômica

Agora, engenheiros da Universidade Purdue, nos Estados Unidos, desenvolveram um nanoposicionador - um equipamento de posicionamento - semelhante às mesas coordenadas presentes na maioria dos laboratórios, com a diferença que o nanoposicionador consegue se mover com uma precisão em escala atômica.

O equipamento pode ser comandado para mover-se um átomo à frente ou a ré, ou à direita e à esquerda, exatamente como as mesas coordenadas. Esse é um grande avanço em relação aos equipamentos atuais, que movem-se apenas em um sentido.

Discos rígidos e nanomáquinas

O minúsculo equipamento de posicionamento motorizado terá utilidades que deverão ir além dos laboratórios de pesquisa. Ele poderá, por exemplo, ser a base para novas cabeças de gravação e leitura de discos rígidos, que serão capazes de avançar com precisão ao longo de trilhas muito mais estreitas do que as atuais.

Outra possibilidade é o seu uso em uma linha de montagem de nanomáquinas.

Discos rígidos e sensores biológicos

O manipulador em nanoescala também opera no sentido inverso, detectando movimentos e forças. Isso o torna adequado para uma nova classe de sensores capazes de detectar vírus e moléculas biológicas.

Os sensores biológicos atuais têm uma resolução ao redor de 20 nanômetros. "Vinte nanômetros é mais ou menos o tamanho de 200 átomos, de forma que, se você está procurando por uma molécula em particular, será difícil encontrar," diz o pesquisador Jason Clark. "Com nosso design, a resolução mais alta, em escala atômica, tornará a busca mais fácil."





Outras notícias sobre:

    Mais Temas