Plantão

Agência Espacial Brasileira assina acordos de cooperação com a NASA

NASA e AEB assinam acordos de cooperação
O acordo entre a NASA e a AEB abre a possibilidade para a participação brasileira no programa GPM, que irá produzir dados para a previsão e o monitoramento de mudanças climatológicas e meteorológicas.[Imagem: NASA]

O diretor da NASA, astronauta Charles Bolden, visitou o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), em São José dos Campos (SP) nesta quinta-feira (27).

O encontro serviu para a assinatura de acordos de cooperação entre a NASA e a AEB (Agência Espacial Brasileira).

Foram assinados dois memorandos de intenção, que ainda precisam ser ratificados pelas duas agências espaciais.

Projeto Chuva

O primeiro dos memorandos é sobre o programa GPM (Global Precipitation Measurement, Medições Globais de Precipitação), uma iniciativa para o estudo das chuvas em escala global, a partir de dados obtidos por satélites de monitoramento ambiental.

O acordo abrirá várias possibilidades para a participação brasileira no programa GPM, que deverá produzir dados relevantes para a previsão e o monitoramento de mudanças climatológicas e meteorológicas.

As atividades previstas no projeto vão desde a realização conjunta de pesquisas e estudos, validação e calibração de dados do programa, até a eventual realização de uma missão de um satélite para compor a constelação GPM.

O Projeto GPM é uma iniciativa da NASA e da JAXA, a agência espacial japonesa. Ele irá gerar informações inéditas sobre as chuvas e a neve, criando mapas 3-D detalhados da estrutura de precipitação.

Camada de ozônio

Além do acordo sobre o GPM, foi assinado outro termo de cooperação sobre monitoramento da camada de ozônio, em um projeto chamado OCM (Ozone Cooperation Mission, missão de cooperação sobre ozônio, em tradução livre).

O acordo prevê o estudo da concentração de vários componentes da atmosfera e pesquisas visando uma melhor compreensão da camada de ozônio da Terra, tanto de sua geração, quanto de sua diminuição.

As missões incluem o lançamento de instrumentos a bordo de balões, a partir de Maxaranguape, na região de Natal (RN) que, além das observações sobre a camada de ozônio, vão ajudar a calibrar sensores instalados a bordo de satélites.

A NASA e a AEB vão compartilhar equipamentos, dados, treinamento de pessoal e detalhes técnicos.

Satélite

Durante a reunião, também foram discutidos outros assuntos, mas que ainda não resultaram na formalização de acordos.

Entre eles está a proposta do INPE para o desenvolvimento em cooperação com o JPL (Jet Propulsion Lab), da NASA, de um satélite inovador de alta resolução espectral para estudo das propriedades biogeoquímicas da cobertura do solo, algo essencial na avaliação do impacto nos ecossistemas da ação do homem, das queimadas e dos desmatamentos.

Houve conversas preliminares também sobre possíveis parcerias nas áreas de clima espacial, rastreio de satélites e testes ambientais de equipamentos espaciais.





Outras notícias sobre:

    Mais Temas