Robótica

Objeto não-aerodinâmico voa por inversão

Movimento por inversão

A empresa Festo apresentou mais um de seus veículos-conceito voadores durante a Feira de Hanover.

Mas o conceito desta vez é mais do que um objeto voador comum.

Batizado de SmartInversion, o objeto demonstra um conceito de voo impulsionado não por motores, mas pela inversão de um objeto geométrico.

O objeto voador flutua graças ao gás hélio em seu interior, mas o impulso para seu movimento é fornecido unicamente pela inversão sobre si mesmo.

"A combinação inteligente de um design extremamente leve, motores elétricos, e de um controle com circuitos abertos e fechados tornou possível fazer a inversão sem fim no ar, ritmicamente pulsante," afirmou Heinrich Frontzek, que controlava o objeto do solo usando um smartphone.

Terceiro tipo de movimento

O bailado pulsante, leve e suave, é possível graças a um novo tipo de movimento, descoberto pelo matemático, inventor e escultor alemão Paul Schatz.

Com seus "cubos reversíveis", Schatz descobriu um terceiro tipo básico de movimento, a inversão - os dois outros tipos são a rotação e a translação, esta última explorada nos motores lineares.

Schatz dividiu um cubo em duas estrelas e uma cinta cúbica reversível. A cinta cúbica é um anel de seis partes, que se separa a partir de duas partes interligadas nos cantos, podendo inverter-se continuamente, assumindo formas diferentes.

Esse movimento contínuo de expansão e contração gera a pulsação que movimenta o objeto para a frente.

Mas dificilmente alguém terá o prazer de voar em um objeto pulsante como esse: foram necessários 2.130 litros de hélio para prover sustentação para 2.334 gramas.





Outras notícias sobre:

    Mais Temas