Informática

Óculos de realidade aumentada e dimensão reduzida
Além de mostrar as informações no local adequado ao longo da lente, os micro-óculos de realidade aumentada corrigem a hipermetropia eletronicamente.[Imagem: Fraunhofer IOF]

Óculos com autofoco

Com dúvidas se o Google Glass se tornará realmente um produto comercial, engenheiros alemães decidiram projetar óculos de realidade aumentada que dispensam as armações.

"Nós projetamos nossos óculos para que eles sejam pequenos e discretos," disse o professor Peter Schreiber, do Instituto de Óptica Aplicada, da Alemanha.

Além disso, os micro-óculos possuem uma novidade para quem já está acostumado com óculos e lentes.

"Nossa abordagem multicanal compensa a hipermetropia sem qualquer peça de movimento mecânico, como as oculares ajustáveis dos binóculos, e ajusta o foco para cada usuário por meios puramente eletrônicos," explicou Schreiber.

Embora a microtela dos novos óculos meça 8 x 15 milímetros, um tamanho semelhante ao de modelos anteriores, a óptica tem apenas 5 milímetros de comprimento, cerca de um quinto do comprimento de outras versões.

Em vez de usar componentes ópticos individuais longos, a equipe colocou vários componentes pequenos uns ao lado dos outros, o que permitiu obter os mesmos resultados com uma estrutura muito menor.

Projeção inteligente

O sistema de projeção também é mais inteligente.

Enquanto os óculos de realidade aumentada disponíveis comercialmente geralmente projetam a imagem na borda do campo de visão - por exemplo, os usuários têm que olhar para cima e para a direita - os micro-óculos colocam as informações junto ao contexto que as exige - por exemplo, ao lado de um monumento que um turista está olhando e sobre o qual buscou informações pela internet.

Este efeito foi possível traçando no vidro uma estrutura de treliça em nanoescala - invisível para o olho humano -, que serve como guia da luz.

A equipe está negociando o licenciamento da tecnologia para empresas interessadas em colocar os micro-óculos de realidade aumentada no mercado.





Outras notícias sobre:

    Mais Temas