Plantão

Pré-natal do ALMA mostra embrião de estrela

Pré-natal do ALMA mostra embrião de estrela
A ecografia em micro-ondas mostra o interior do "útero estelar". [Imagem: ALMA (ESO/NRAJ/NRAO)/NASA/Spitzer/JPL-Caltech/GLIMPSE]

Útero estelar

O telescópio móvel ALMA acaba de brindar os astrônomos com a melhor vista de uma estrela gigantesca que está se formando no meio de uma nuvem de poeira cósmica.

Os dados mostram que esse "útero estelar" tem cerca de 500 vezes a massa solar - o maior já descoberto na Via Láctea, e ainda em fase de crescimento. A estrela embrionária está nascendo sugando o material da nuvem.

E as observações indicam que nascerá um bebê enorme: pelos dados da nuvem, a estrela será muito brilhante, com uma massa que poderá atingir 100 massas solares.

A estrela em gestação está localizada a cerca de 11.000 anos-luz de distância, em uma nuvem conhecida como Nuvem Escura de Spitzer.

Teorias para a formação de estrelas

A equipe internacional de astrônomos utilizou o ALMA para fazer uma ecografia em micro-ondas, de modo a tentar ter uma ideia mais clara sobre a formação de uma estrela gigante, um processo que ainda é largamente um mistério para os cientistas.

Existem duas teorias para a formação de estrelas de massa muito elevada.

Uma sugere que a nuvem escura progenitora se fragmenta, criando vários núcleos pequenos que colapsam por si próprios, eventualmente formando estrelas.

A outra é mais dramática: uma nuvem inteira começa a colapsar, não se sabe por quê, com o material deslocando-se rapidamente para o centro da nuvem, criando nessa região uma ou mais estrelas de massa muito elevada.

Os novos dados mostram uma rede de filamentos de gás e poeira deslocando-se para a região central da nuvem, onde a estrela está se formando, apoiando fortemente a teoria do colapso da nuvem para a formação das estrelas de grande massa.

Os astrônomos usam a expressão "estrelas de grande massa" para se referir às estrelas que têm 10 ou mais massas solares. É uma referência à massa da estrela e não ao seu tamanho.





Outras notícias sobre:

    Mais Temas