Materiais Avançados

Roupa que aquece alimentada com bateria tipo botão
A sinterização é quase instantânea, induzida por uma lâmpada de xenônio. [Imagem: Hyun-Jun Hwang and Rajiv Malhotra/Rutgers University-New Brunswick]

Gerenciamento térmico pessoal

E se, em vez de ligar o aquecedor, você pudesse se aquecer usando retalhos flexíveis costurados nas suas roupas - ao mesmo tempo em que reduz significativamente a conta de luz e sua pegada de carbono?

Engenheiros das universidades Rutgers e Oregon, nos EUA, descobriram uma maneira econômica de produzir esses retalhos de alta tecnologia - finos, duráveis e que aquecem - usando pulsos de luz para fundir pequenos fios de prata com poliéster.

O desempenho de aquecimento é quase 70% maior que roupas elétricas similares criadas por outros pesquisadores.

E os novos tecidos térmicos são baratos, gastam tão pouca energia que podem ser alimentados por baterias tipo botão e são capazes de gerar calor onde o corpo humano precisa, já que podem ser costurados como remendos.

"Isso é importante em ambientes internos, onde desperdiçamos muita energia aquecendo edifícios, em vez de aquecer seletivamente o corpo humano," disse o pesquisador Rajiv Malhotra, citando estimavas de que 47% da energia global seja usada para aquecimento interno, e 42% dessa energia é desperdiçada para aquecer o espaço vazio e objetos, em vez de pessoas.

Aquecimento e ar-condicionado nas roupas

A inovação está tendo forte impacto no hemisfério Norte, onde já é inverno.

Por aqui, é claro que, neste início de verão, você pode não se lembrar da última vez que pensou em se aquecer, mas saiba que também tem havido avanços em tecidos para esfriar seu corpo, com as roupas com ar-condicionado já bem próximas da realidade.

Na verdade, o "gerenciamento térmico pessoal" é um conceito emergente, mas que avança rápido, incluindo até demonstrações de roupas inteligentes que aquecem e esfriam conforme a necessidade.

Sinterização

Estes novos retalhos de aquecimento foram criados usando "sinterização de luz pulsada intensa" para fundir nanofios de prata - milhares de vezes mais finos do que um fio de cabelo humano - em fibras de poliéster.

O processo leva 300 milionésimos de segundo para se completar e também é promissor para outras aplicações, incluindo a incorporação de sensores e circuitos eletrônicos nas roupas.

Bibliografia:

Rapid Pulsed Light Sintering of Silver Nanowires on Woven Polyester for personal thermal management with enhanced performance, durability and cost-effectiveness
Hyun-Jun Hwang, Harish Devaraj, Chen Yang, Zhongwei Gao, Chih-hung Chang, Howon Lee, Rajiv Malhotra
Nature Scientific Reports
Vol.: 8, Article number: 17159
DOI: 10.1038/s41598-018-35650-7




Outras notícias sobre:

    Mais Temas