Eletrônica

Siliceno: um grafeno de silício

Siliceno: um grafeno de silício
O siliceno não é plano como o grafeno, apresentando uma estrutura cheia de altos e baixos.[Imagem: JAIST/Ayandatta/Wikipedia]

Silício bidimensional

O grafeno dispensa apresentações, e não é de hoje que ele vem ameaçando a supremacia do silício.

O silício tem sido um adversário valente, e agora ele ameaça nada menos do que dar a volta por cima.

Pesquisadores afirmam ter finalmente conseguido isolar o siliceno, uma réplica estrutural do grafeno, com a diferença que, em vez dos átomos de carbono, a estrutura bidimensional é formada por átomos de silício.

Teoricamente, esse novo material deverá ter propriedades equivalentes às do grafeno.

Mas sua grande vantagem é que ele é totalmente compatível com o restante da eletrônica, já que é essencialmente o mesmo material.

Siliceno

O interesse no siliceno é tão grande que, ao longo dos últimos 10 anos, vários grupos de pesquisa têm alegado tê-lo sintetizado - mas ninguém conseguiu convencer ninguém.

Agora, Patrick Vogt, da Universidade Técnica de Berlim, juntamente com colegas da França e da Itália, garantem ter sintetizado o siliceno.

Para provar, eles usaram uma série de medições, afirmando que apenas imagens de um microscópio de tunelamento não são suficientes para comprovar que o material fotografado é mesmo o siliceno.

Depois de criar o cristal unidimensional de silício sobre um cristal de prata, usando deposição de vapor químico, eles mediram a estrutura, avaliaram sua composição química e mediram suas propriedades eletrônicas.

Segundo eles, todos os resultados coincidem com as previsões teóricas, ao contrário de experimentos anteriores, que produziram resultados discutíveis.

Germaniceno

Vogt disse que é muito difícil prever se o siliceno será realmente útil para a eletrônica.

"Nós estamos muito no começo do estudo desse material, e há outras opções também. Pode valer a pena dar uma olhada no germânio, que pode gerar o germaniceno," arrisca ele - ou talvez germaneno.

O germânio é outro material semicondutor largamente utilizado na eletrônica atual.

O grafeno tem-se mostrado excelente para a confecção de transistores ultrarrápidos.

Contudo, fazê-lo funcionar juntamente com a eletrônica do silício tem produzido mais frustrações que inovações até agora.

Bibliografia:

Silicene: Compelling Experimental Evidence for Graphenelike Two-Dimensional Silicon
Patrick Vogt, Paola De Padova, Claudio Quaresima, Jose Avila, Emmanouil Frantzeskakis, Maria Carmen Asensio, Andrea Resta, Bénédicte Ealet, Guy Le Lay
Physical Review Letters
Vol.: 108, 155501
DOI: 10.1103/PhysRevLett.108.155501




Outras notícias sobre:

    Mais Temas