Logotipo do Site Inovação Tecnológica





Informática

Sistema de realidade virtual esférico simula holografia

Com informações da Agência USP - 03/11/2014

Sistema de realidade virtual esférico simula holografia
Gestos com as mãos livres permitem explorar o conteúdo 3D, manipulando a posição e tamanho do objeto por meio de rotação, translação e escala.
[Imagem: USP Imagens]

Interface esférica

Pesquisadores da USP criaram uma tela esférica que não apenas mostra objetos 3D de forma similar à holografia, como também permite a manipulação desses objetos com as mãos.

A esfera é feita de acrílico translúcido com tratamento óptico que produz o efeito de percepção em profundidade. A resolução obtida é igual à da retina, compatível com a resolução do olhar humano.

O sistema de realidade virtual esférico é inédito e, segundo os pesquisadores, pode revolucionar o mercado de simulação, com aplicações em videogames, cinema 3D, design, parques de diversões, mecânica, medicina, entre muitas outras áreas.

"O que faz o sistema inovador é a utilização de vários miniprojetores calibrados e combinados automaticamente criando um espaço de pixel uniforme sobre a superfície da esfera. Estes miniprojetores transformam um globo translúcido em uma tela 3D interativa de alta resolução com perspectiva corrigida", explica o professor Marcelo Zuffo, da Escola Politécnica da USP.

O sistema, chamado Spheree, consiste de uma tela esférica de multiprojeção com correção de perspectiva, com capacidade tanto para visualização como para edição de conteúdo em 3D. A interação gestual permite ao usuário movimentar ou rotacionar objetos, além de manipulá-los utilizando hardware especial.

Sistema de realidade virtual esférico simula holografia
As modificações feitas pela interface de realidade virtual são captadas por programas usados em design.
[Imagem: USP Imagens]

Realidade virtual esférica

Os usuários interagem com o Spheree de duas formas, utilizando dispositivos de rastreio das mãos, como canetas stylus, cuja precisão é adequada para programas de esculpir, ou usando as mãos livres, com gestos para explorar o conteúdo 3D, manipulando a posição e tamanho do objeto por meio de rotação, translação e escala.

De acordo com Zuffo, o Spheree apresenta um novo paradigma para a visualização de realidade virtual em esfera de conteúdo tridimensional, já que os sistemas mais comuns em realidade virtual são em formato cúbico e por isso podem apresentar distorções de imagem.

Com esse sistema de realidade virtual, é possível que os usuários caminhem ao redor do objeto que está sendo explorado, para entender melhor sua geometria e propriedades físicas, simulando algo semelhante à criação de esculturas da vida real.

"A plataforma rastreia a posição do usuário e da Spheree para renderizar imagens de perspectiva corrigida na superfície da esfera, proporcionando referências de paralaxe de movimento, isolamento, iluminação e de profundidade para o usuário," afirma Zuffo.

O projeto é resultado de uma colaboração internacional, envolvendo pesquisadores da USP, Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), Universidade Federal do ABC (UFABC) e das universidades de Saskatchewan e Colúmbia Britânica, no Canadá.






Outras notícias sobre:
  • Interfaces
  • Telas e Monitores
  • Realidade Virtual
  • Holografia

Mais tópicos