Informática

Tecnologia TIC-TOC vai viabilizar internet táctil
Os chips garantem que a latência (o tempo desde a origem dos dados até o destino) seja inferior a 1 milissegundo. [Imagem: ETRI]

Internet Táctil

Engenheiros coreanos desenvolveram uma tecnologia de processamento de informações extremamente rápida que promete ajudar a criar a próxima geração da internet.

Os pacotes de informação digital são enviados a 25 gigabits por segundo, 10 vezes mais rápido do que as velocidades atualmente disponíveis.

A tecnologia, batizada de TIC-TOC, é um componente crítico da futura "Internet Táctil", na qual a informação é enviada e recebida em velocidades equivalentes às da percepção humana, eliminando os retardos que dificultam a comunicação e inviabilizam várias aplicações promissoras.

TIC-TOC é uma sigla em inglês para "Acesso Óptico Tátil Controlado por Tempo" e está sendo projetado para funcionar nas futuras redes 5G.

Seus criadores afirmam a tecnologia TIC-TOC ajudará a promover a realidade virtual e a realidade aumentada em todos os tipos de setores, desde educação e saúde, até entretenimento e segurança pública.

Por exemplo, poderá ser possível lançar e operar robôs em áreas perigosas ou de desastre com visão e "sensações" instantâneas entre os controladores humanos e as máquinas - quando a máquina vê alguma coisa, os humanos a veem em tempo real, sem retardo, e quando o humano controla remotamente a mão ou a cabeça do robô, o movimento acontecerá imediatamente.

O mesmo vale para as telecirurgias, com um médico controlando remotamente um robô que faz a cirurgia, mas com o médico sentindo-se como se estivesse na sala de cirurgia porque a resposta é instantânea, o que reduzirá o risco para os pacientes.

Tecnologia TIC-TOC

A tecnologia apresentada por Kwang Kim e seus colegas do Instituto de Pesquisas em Eletrônica e Telecomunicações (ETRI), na Coreia do Sul, consiste em chips de controle de acesso à internet e transceptores ópticos para acelerar o tempo de processamento de dados.

O transceptor óptico converte dados elétricos de alta velocidade em sinais ópticos para transmitir por meio de fibras ópticas. Os chips garantem que a latência (o tempo desde a origem dos dados até o destino) seja inferior a 1 milissegundo graças a uma nova tecnologia de agendamento de pacotes que controla o tráfego da rede.

Esse sistema de gerenciamento permite, por exemplo, que dados mais urgentes saltem à frente de outros pacotes de informação e sejam transferidos em um milissegundo (1/1000 de segundo), a mesma velocidade na qual o senso humano de toque funciona.

Em tese, os chips poderão aumentar ainda mais a velocidade da rede - acima dos 25 Gb/s - combinando vários canais para transmissão de dados. Antes disso, porém, a equipe precisará integrar todo o sistema para que ele possa ser plugado e posto para funcionar de forma transparente para as aplicações.

Bibliografia:

High Speed and Low Latency Passive Optical Network for 5G Wireless Systems
Kwang Ok Kim, Kyung Hwan Doo, Han Hyub Lee, Seung Hwan Kim, Heuk Park, JungYeol Oh, Hwan Seok Chung
Journal of Lightwave Technology
DOI: 10.1109/JLT.2018.2866805




Outras notícias sobre:

    Mais Temas