Plantão

Nova Iorque aposta em telhados brancos contra aquecimento de edifícios

Pintar telhado de branco

Conhecida pela divulgação e promoção de ações de sustentabilidade, a Prefeitura de Nova Iorque criou um programa pelo qual pretende pintar de branco, senão a totalidade, a maior quantidade possível de telhados da cidade.

O objetivo da medida é reduzir o consumo de energia dos moradores e, assim, o impacto que causam no meio ambiente.

Isso porque, com os telhados pintados de branco, a temperatura no interior de um edifício pode cair até 30%, diminuindo os gastos com ar-condicionado e, consequentemente, a emissão de gases do efeito estufa.

O programa, chamado de "Cool Roofs" (ou "Telhados Frios", em tradução literal), faz parte de um conjunto de medidas tomadas por Nova Iorque com o intuito a reduzir em 30% a emissão de gases causadores do efeito estufa até 2030.

Segundo um estudo realizado pelo Centro de Pesquisa de Sistemas Climáticos da Universidade de Colúmbia, nos Estados Unidos, um telhado pintado na cor branca registrou, no dia mais quente deste ano, uma temperatura até seis graus menor do que a verificada em um tradicional, sem a tinta.

A explicação é simples e tem origem nas leis da física: enquanto os telhados pretos ou escuros absorvem a energia do sol quase completamente, os brancos refletem os raios solares, dispersando o calor.

Telhado branco esfria mesmo?

Apesar de tantos indicadores, a medida ainda levanta polêmicas.

Uma pesquisa realizada recentemente na USP, mostrou que as tintas comuns podem ter um efeito cultivador sobre microrganismos capazes de escurecer os telhados, gerando um efeito de aquecimento, em vez de resfriamento.

Os testes em laboratório demonstraram que os biocidas (fungicidas) presentes na formulação das tintas para conferir proteção do produto à ação dos fungos são lixiviados (removidos) pela água.

Para a pesquisadora Márcia Aiko Shirakawa, "é preciso realizar mais pesquisas sobre a durabilidade das tintas desenvolvidas para aplicação em telhados antes de implementar qualquer lei. Porque, com o tempo, sabemos que haverá crescimento microbiano e o escurecimento dos telhados, e isso acarretará mais gastos de repintura e o aumento de lixiviação do biocida das tintas."

Voluntários nos telhados

Em Nova Iorque, contudo, o apelo da medida é grande, levando até mesmo à formação de grupos de voluntários para ajudar a pintar principalmente prédios e edifícios públicos.

"Aqui em cima faz muito calor, mas o esforço vale a pena, porque conhecemos pessoas e ajudamos nossa comunidade com um projeto sustentável maravilhoso", disse James Allison, da ONG Inroads, que seleciona voluntários para participar no programa.

"Estamos trabalhando lentamente e não será possível pintar todos os telhados da cidade, ora pelo material, ora pelas condições de segurança necessárias para pintá-lo. Mas vamos fazer tudo o que pudermos", disse Tori Edmiston, vice-diretor de Relações Exteriores Comunitárias do Conselho da Cidade de Nova Iorque, a agência da Prefeitura responsável pelo programa.

Por enquanto, os tetos mais pintados são os de universidades, bibliotecas e edifícios públicos, além de blocos de apartamentos de moradores de baixa renda.





Outras notícias sobre:

    Mais Temas