Plantão

Atlantis é lançado para a última missão dos ônibus espaciais

Despedida

O ônibus espacial Atlantis foi lançado nesta sexta-feira no Cabo Canaveral, na Flórida (sul dos Estados Unidos), para a missão que marca o fim do programa de 30 anos de ônibus espaciais da NASA.

O lançamento da Atlantis ocorreu às 11h30 pelo horário local (12h30 em Brasília), depois de muita expectativa devido ao mau tempo.

As condições permaneceram favoráveis ao lançamento por quase toda a manhã, mas, com a piora do tempo nas horas que antecederam a partida, houve temores de que ela poderia ser adiada.

Substituição dos ônibus espaciais

Os ônibus espaciais devem ser substituídos nos próximos anos por uma nova família de espaçonaves.

A próxima nave da própria NASA, anunciada como uma "nave para o espaço profundo", nada mais é do que um upgrade do programa Apollo.

Naves realmente para o espaço profundo ainda estão na prancheta, sem nenhum programa de construção agendado, o que inclui um convite para que qualquer pessoa apresente o projeto de uma nave interestelar que possa ser construída nos próximos 100 anos e uma nave-conceito.

A NASA já anunciara que estaria partindo para a privatização dos voos espaciais em 2008.

Mas a maior decepção veio com o recente anúncio da nave que deverá levar os astronautas norte-americanos para a Estação Espacial Internacional e para outras missões em órbita baixa: o Dream Chaser é uma nave construída por engenharia reversa, copiada de um modelo da extinta União Soviética.

A partir de agora, os astronautas americanas dependerão da "carona" dos antigos rivais russos, que os transportarão para a Estação Espacial Internacional a bordo de foguetes Soyuz.

Olhar para cima?

Quatro astronautas fazem a histórica última viagem: o comandante Chris Ferguson, o piloto Doug Hurley e os "especialistas" Sandy Magnus e Rex Walheim.

O fim das missões com ônibus espaciais da NASA foi anunciado pelo presidente norte-americano, Barack Obama.

Ele disse que é hora de "olhar para a frente", se concentrando na exploração de Marte e no possível envio de uma missão tripulada ao Planeta Vermelho.

O atual programa espacial passou a ser considerado dispendioso e pouco prático pelas autoridades norte-americanas, tendo custado um total de US$ 196 bilhões ao longo de três décadas.

Lembranças

Quando o Atlantis retornar de sua jornada final, o ônibus espacial se tornará uma peça de museu, no Centro Espacial Kennedy, na Flórida. Os ônibus espaciais restantes, Enterprise, Discovery e Endeavour, serão enviados para outros museus nos Estados Unidos.

O primeiro ônibus espacial, o Columbia, foi lançado em 12 de abril de 1981.

Entre os mais destacados feitos da missão de ônibus espaciais estão a colocação do telescópio Hubble em órbita, em 1990, e a construção da Estação Espacial Internacional, que não teria sido possível sem a capacidade de carga dos ônibus espaciais.

O programa também foi marcado por duas tragédias. A primeira foi a explosão da Challenger, o segundo ônibus espacial construído, em 1986, matando todos os sete tripulantes da nave, entre elas a professora Sharon McAuliffe, a primeira civil a integrar uma missão espacial.

O segundo desastre ocorreu em fevereiro de 2003, quando o Colúmbia se desintegrou durante sua reentrada na Terra, sobre o Estado do Texas, matando todos os sete tripulantes.





Outras notícias sobre:

    Mais Temas