Logotipo do Site Inovação Tecnológica





Meio ambiente

Violão bom não precisa ser de madeira nobre

Redação do Site Inovação Tecnológica - 31/01/2019

Madeira ideal para violão
Os violões foram construídos especialmente para o teste, usando das madeiras mais raras e caras até madeiras de baixo custo e fontes sustentáveis.
[Imagem: Universidade de Lancaster]

Madeiras boas para violões

Pesquisadores testaram os sons produzidos por seis violões diferentes para avaliar os efeitos que o tipo de madeira usado na fabricação do violão geram sobre o seu som.

Violões fabricados com algumas madeiras consideradas nobres são reverenciados pelos músicos por suas qualidades acústicas, e são considerados tonalmente superiores aos violões fabricados com outras madeiras.

Infelizmente, muitas dessas madeiras são raras, correm risco de extinção ou são provenientes de fontes insustentáveis.

Os fabricantes de violões estão cientes desse problema e vêm tomando uma série de iniciativas para lidar com ele. O desafio é encontrar madeiras que sejam sustentáveis e de preço razoável, sem comprometer a qualidade do som do instrumento.

Para ajudar nessa seleção, o professor Christopher Plack, da Universidade de Lancaster, no Reino Unido testou seis violões acústicos de corda de aço especialmente construídos pelo fabricante Roger Bucknall (Fylde Guitars). Todos eles tinham o mesmo design e especificações de material, exceto pelas placas traseira e lateral, que eram feitas de madeiras variando amplamente em disponibilidade e preço:

  • Jacarandá brasileiro
  • Jacarandá indiano
  • Mogno
  • Maple
  • Sapele
  • Noz

Violão de madeira sustentável

A qualidade geral do som foi avaliada por 52 violonistas que experimentaram cada um dos violões em uma sala pouco iluminada e ainda usando óculos de soldador, para evitar a identificação visual de cada modelo.

Eles deram classificações semelhantes para todos os seis violões, enquanto testes cegos de 31 dos mesmos violonistas indicaram que eles não conseguiam distinguir facilmente os violões pelo seu som ou pela sensação. Em outras palavras, não parece haver uma madeira ideal ou superior para fabricar um violão.

"Nós descobrimos que, acusticamente, as diferenças entre os violões são mínimas. Os guitarristas deram classificações muito semelhantes à qualidade do som e à 'tocabilidade' dos diferentes violões sob condições cegas. Além disso, sua capacidade de distinguir os violões pelo som em um teste de discriminação cega foi pobre.

"No geral, nossos resultados sugerem que a madeira do fundo tem um efeito insignificante na qualidade do som e na tocabilidade de um violão, e que madeiras mais baratas e sustentáveis podem ser usadas como substitutas de madeiras caras e ameaçadas sem perda de qualidade sonora," resumiu o professor Plack.

Bibliografia:

Artigo: Effect of back wood choice on the perceived quality of steel-string acoustic guitars
Autores: Samuele Carcagno, Roger Bucknall, Jim Woodhouse, Claudia Fritz, Christopher John Plack
Revista: Journal of the Acoustical Society of America
Vol.: 144, No. 6. pp. 3533-3547
DOI: 10.1121/1.5084735






Outras notícias sobre:
  • Design
  • Desenvolvimento Sustentável
  • Monitoramento Ambiental
  • Metrologia e Padronização

Mais tópicos