Nanotecnologia

Automontagem molecular chega aos discos rígidos

Redação do Site Inovação Tecnológica - 25/08/2008

Automontagem molecular chega aos discos rígidos
[Imagem: Science]

Enquanto a indústria eletrônica avança miniaturizando os componentes eletrônicos, a nanotecnologia sempre acenou com a possibilidade de construir esses componentes de baixo para cima, molécula por molécula ou até mesmo átomo por átomo.

Processo híbrido

Embora essa possibilidade seja real, e permita levar a miniaturização ao seu extremo, até agora foram poucas as demonstrações práticas de processos que utilizem a automontagem como fundamento básico para a construção de dispositivos, sejam eles eletrônicos ou não.

Em 2003, pesquisadores da Universidade de Wisconsin, nos Estados Unidos, criaram um processo híbrido, que junta as atuais técnicas da litografia com novos materiais capazes de automontagem, chamados copolímeros de bloco (veja Chips construídos a partir de moléculas).

Automontagem na fabricação de discos rígidos

Agora, em colaboração com pesquisadores da Hitachi, a mesma equipe de cientistas demonstrou a viabilidade desse processo ser aplicado em escala industrial para a fabricação de discos rígidos.

O último grande avanço na fabricação de discos rígidos deu-se com a criação de bits magnéticos perpendiculares à cabeça de leitura, permitindo que eles tenham uma densidade muito maior (veja Nova tecnologia cria HD de altíssima capacidade).

A utilização de moléculas automontantes acena com a possibilidade de uma redução sem precedentes nas dimensões desses bits, o que permitirá a criação de discos rígidos de capacidades hoje impensáveis.

Automontagem molecular

Além disso, os pesquisadores afirmam que a nova técnica torna o processo de fabricação dos discos rígidos mais rápida e mais barata. As longas cadeias moleculares dos copolímeros de bloco montam-se espontaneamente sobre as estruturas construídas por litografia, simplificando o processo de fabricação.

"Há informações codificadas nas moléculas que resultam em determinados tamanhos e espaçamentos das estruturas com as propriedades desejáveis," explica o pesquisador Paul Nealey. "As forças termodinâmicas que dirigem o processo tornam essas estruturas mais uniformes em tamanho e com mais alta densidade do que você consegue obter com os materiais tradicionais."

O padrão formado pelos copolímeros de bloco define as características da estrutura em nível molecular, oferecendo uma precisão impossível de se alcançar apenas com a litografia. Além disso, ele corrige automaticamente irregularidades no padrão químico da estrutura.

Esse controle em nanoescala permitirá que os engenheiros criem superfícies de armazenamento de dados de altíssima densidade.

Bibliografia:

Density Multiplication and Improved Lithography by Directed Block Copolymer Assembly
Ricardo Ruiz, Huiman Kang, François A. Detcheverry, Elizabeth Dobisz, Dan S. Kercher, Thomas R. Albrecht, Juan J. de Pablo, Paul F. Nealey
Science
15 August 2008
Vol.: 321. no. 5891, pp. 936 - 939
DOI: 10.1126/science.1157626
Outras notícias sobre:

Mais Temas