Espaço

Um exoplaneta que pode nos ajudar a entender Mercúrio

Um exoplaneta que pode nos ajudar a entender Mercúrio
Diagrama que representa a estrutura interna de Mercúrio. Não existem teorias para explicar como o núcleo metálico do planeta é tão grande. [Imagem: Nicolle Rager Fuller/NSF]

Exomercúrio

Um exoplaneta recém-descoberto tem um tamanho muito semelhante ao da Terra, mas tem duas vezes e meia a massa do nosso planeta, o que o torna muito mais denso e, na sua composição global, muito parecido com Mercúrio.

Localizado a 340 anos-luz de distância, esse estranho exoplaneta pode finalmente dar aos astrônomos algumas ideias para explicar as peculiaridades do nosso planeta vizinho mais próximo do Sol.

O exoplaneta K2-229-b chamou a atenção porque seu núcleo metálico deve responder por nada menos do que 68% da sua massa, comparado com cerca de 30% no caso da Terra. Lá, como no caso de Mercúrio em nosso Sistema Solar, este resultado não seria de se esperar tendo como base a composição química da estrela-mãe.

A estrela K2-229 é um pouco mais nova e de menos massa do que o nosso Sol e tem uma proporção ligeiramente menor de outros elementos químicos mais pesados do que o hidrogênio e o hélio. Essa incongruência entre estrela e planeta é a primeira detectada em um sistema extrassolar - a mesma incongruência vista em Mercúrio, que tem feito os astrônomos coçarem a cabeça há décadas.

Peculiaridade de Mercúrio

A Terra, Marte e Vênus, assim como o Sol, partilham a mesma abundância relativa de certos elementos químicos, como o ferro, o magnésio ou o silício. "Mercúrio é diferente e acredita-se que algum processo externo tenha alterado significativamente a sua composição. Agora encontramos um planeta que apresenta a mesma particularidade, a de ter uma composição diferente da que seria de esperar a partir da composição da sua estrela-mãe," disse Vardan Adibekyan, da Universidade do Porto, em Portugal.

A equipe espera que a descoberta de outros planetas do mesmo gênero possa dar dicas de como planetas como Mercúrio se formaram e evoluíram, ajudando a explicar a formação do nosso próprio Sistema Solar. A expectativa é que dados de sondas espaciais, como a Messenger e a futura BepiColombo, que será lançada neste ano, ajudem a elucidar o mistério.

Um exoplaneta que pode nos ajudar a entender Mercúrio
O K2-229-b está muito próximo de planetas que são quase "inteiramente núcleos" - cuja densidade é similar à do núcleo dos planetas terrestres. [Imagem: Brugger et al. - 10.1038/s41550-018-0420-5]

Planeta quente

Mas o exoplaneta tão interessante também tem suas diferenças com Mercúrio. O K2-229-b orbita muito mais próximo da sua estrela, completando uma volta em apenas 14 horas (um ano em Mercúrio dura 88 dias terrestres). Já a sua temperatura durante o dia é mais de quatro vezes superior à da face diurna do menor planeta do Sistema Solar, podendo atingir os 2.000 graus Celsius, o suficiente para fundir o ferro.

No sistema K2-229 foram identificados dois outros planetas, K2-229-c e K2-229-d. Este sistema planetário foi detectado através dos dados do telescópio espacial Kepler e confirmado e caracterizado com o espectrógrafo HARPS, do telescópio terrestre VLT, no Chile.

Bibliografia:

An Earth-sized exoplanet with a Mercury-like composition
A. Santerne et al.
Nature Astronomy
DOI: 10.1038/s41550-018-0420-5




Outras notícias sobre:

Mais Temas