Logotipo do Site Inovação Tecnológica





Espaço

Sonda da Gravidade confirma teoria de Einstein

Redação do Site Inovação Tecnológica - 19/04/2007

Sonda da Gravidade confirma teoria de Einstein

Em 1905, Albert Einstein mudou para sempre nosso entendimento do universo. Agora, 102 anos depois, um satélite de pesquisas contendo alguns dos mais precisos equipamentos jamais construídos pelo homem começa a confirmar duas de suas mais importantes previsões.

Giroscópios

Em Abril de 2004 foi lançada a Gravity Probe B, ou Sonda da Gravidade B. A bordo, quatro giroscópios extremamente precisos, construídos seguindo as idéias de Leonard Schiff. Mais de 40 anos antes, em 1960, Schiff havia proposto que a presença do espaço-tempo poderia ser verificada com a utilização de giroscópios.

Seguindo apenas as Leis de Newton, um giroscópio situado na órbita terrestre deverá ficar perfeitamente fixo. Mas se, conforme diz Einstein, o espaço-tempo curva-se pela ação de uma força gravitacional, o giroscópio, devido à sua inércia natural, deverá mover-se com ele. Foi preciso esperar bastante pelo desenvolvimento da tecnologia necessária para construir esses giroscópios com a precisão necessária.

Agora, os cientistas anunciaram os primeiros resultados da Gravity Probe B.

Einstein estava certo

"É fascinante ser capaz de acompanhar a curvatura do espaço-tempo prevista por Einstein diretamente pelo inclinar dos giroscópios da Gravity Probe," disse o coordenador da missão, Francis Everitt, "mais de um milhão de vezes mais precisos do que os melhores giroscópios de navegação."

A Gravity Probe B foi construída para testar dois efeitos previstos por Einstein: o efeito geodético - como a Terra curva o espaço-tempo - e o efeito de arrasto - como a rotação da Terra distorce o espaço-tempo ao seu redor. Seguindo a teoria de Einstein, o efeito geodético deveria causar uma inclinação de 0,0018 graus nos giroscópios. Já o efeito de arrasto de referenciais deveria causar uma inclinação de 0,000011 graus.

Os cientistas estão ainda na primeira fase de análise dos dados. Os resultados que eles apresentaram agora têm uma precisão de 1%. E eles mostram uma confirmação do efeito geodético. Como o efeito de arrasto de referenciais é cerca de 170 vezes menor que o efeito geodético, os cientistas ainda estão trabalhando para tentar detectá-lo na sua montanha de dados.

O tratamento desses dados deverá continuar até Dezembro, quando os cientistas esperam ter elevado sua precisão para um nível de 0,01%, suficiente para ter plena confirmação dos dois efeitos.






Outras notícias sobre:
  • Universo e Cosmologia
  • Exploração Espacial
  • Magnetismo
  • Corpos Celestes

Mais tópicos