Mecânica

Nova técnica de combate à corrosão

Uma nova técnica para detectar corrosões localizadas em aço e outros metais poderá ajudar a indústria a evitar custos com manutenção. Em alguns casos, a técnica poderá mesmo ajudar a prevenir sérios problemas de segurança em plantas industriais e outras construções de grande porte. A pesquisa foi feita por engenheiros de materiais da Universidade Sheffield Hallam (Inglaterra).

Esta nova técnica difere dos métodos tradicionais, na medida em que é capaz de detectar a corrosão em um nível muito menor. Isto significa que a ação preventiva pode ser tomada mais cedo, economizando tempo, dinheiro e, possivelmente, vidas humanas.

A corrosão localizada pode afetar a integridade estrutural e a durabilidade de metais e ligas utilizadas em dutos, tanques e equipamentos metálicos em geral. Embora a perda total de metal possa ser insignificante (cinco por cento ou menos), a corrosão localizada pode continuar perfurando o metal, o que poderá levar à quebra ou fratura do equipamento. Historicamente, verifica-se uma falta de técnicas para a detecção desse tipo de perda de metal, uma vez que os métodos tradicionais assumem que a corrosão ocorre uniformemente.

Recentemente novas técnicas de escaneamento foram desenvolvidas, as quais são capazes de fornecer informações úteis sobre corrosão localizada. A utilização dessas técnicas está crescendo no mundo todo. O esforço dos pesquisadores ingleses visa desenvolver uma técnica desse tipo, chamada "Scanning Vibrating Electrode Technique" (SVET), ou Técnica de Varredura por Eletrodo Vibracional.

A SVET envolve a passagem de um eletrodo que vibra sobre a superfície de um material imerso em uma solução de teste, ao mesmo tempo em que são efetuadas medições na atividade de corrosão que está ocorrendo na interface solução-metal. A nova técnica difere das outras baseadas em escaneamento porque ela mede a atividade em nível microscópico, permitindo a medição tanto da taxa quanto da distribuição dos danos causados pela corrosão localizada. O uso de um eletrodo que vibra também oferece uma saída de sinal mais forte e resolução acima de outras técnicas de nova geração.





Outras notícias sobre:

Mais Temas