Mecânica

Controle de qualidade por análise sonora

A empresa japonesa Omron lançou uma nova solução para controle de qualidade por análise sonora, que se baseia na avaliação dos sons emitidos pelo funcionamento de um aparelho saindo da linha de montagem. O sistema também identifica causas de mal funcionamento com base nos sons e vibrações emanados de produtos equipados com motores ou outras partes móveis.

A nova ferramenta de análise sonora recebeu o nome Signarc, uma referência aos sinais ("signals" em inglês) que podem ser claramente vistos e interpretados ao se olhar para as imagens geradas por sua tecnologia proprietária chamada Diagnóstico por Análise do Formato de Ondas.

O Signarc é composto por um inovador sistema de diagnóstico de sons e passa a fazer conjunto com as tecnologias de visão de máquina, que já automatizaram a inspeção visual de produtos em vários setores da indústria. Mas a empresa está disponibilizando a ferramenta no bojo de uma solução completa de serviços, compreendendo diagnóstico, solução e consultoria.

Em todos os produtos dotados de partes móveis são comuns os movimentos seja de rotação contínua, seja de posicionamentos discretos do tipo vai-vem. As partes envolvidas nesses movimentos estão sujeitas a diversos tipos de defeitos mecânicos, incluindo problemas em rolamentos, falta de lubrificação, contaminação com substâncias estranhas, defeitos na rotação e até falta de engrenagens. Esses diversos defeitos resultam na emissão de sons ou vibrações diferentes daqueles emitidos por produtos em perfeitas condições de funcionamento. O que a nova ferramenta de análise sonora faz é "ouvir" o som do produto que sai da linha de montagem, apontando eventuais defeitos.

Para verificar a condição ou identificar causas de mal funcionamento, são utilizados um microfone e um sensor de aceleração, equipamentos estes que capturam as vibrações e ondas emitidas pelo produto sendo testado. O programa consegue quantificar 40 características diferentes dos sons emitidos, dando resultados do tipo "grau de probabilidade de algo esteja errado".

Esta é a maior vantagem da análise sonora automatizada, que apresenta resultados quantitativos, facilmente comparáveis, ao invés de estimativas qualitativas baseadas na experiência de inspetores humanos, muito variáveis de inspetor para inspetor e até mesmo ao longo do dia para um mesmo funcionário. Além disso, ele permite que se acumule uma base de conhecimentos que independe do treinamento e da habilidade de novos funcionários.

A atribuição de um valor específico para o funcionamento de um produto contrasta radicalmente com os padrões "Aprovado" ou "Rejeitado" normalmente emitidos pelos métodos tradicionais de controle de qualidade, podendo evitar o embarque de produtos que até funcionem bem mas que estão sujeitos a apresentar defeitos logo no início de sua utilização normal.





Outras notícias sobre:

    Mais Temas