Mecânica

Motoristas não estão satisfeitos com carros muito silenciosos

Motoristas não estão satisfeitos com carros muito silenciosos
Não basta ouvir o som do motor: os clientes querem ouvir um determinado tipo de som de motor. [Imagem: University of Warwick]

Chamando a atenção

O ronco do motor de um carro já foi a grande "sensação da moçada".

Nos últimos anos, contudo, a maior demonstração de alta tecnologia esteve centrada na construção de modelos absolutamente silenciosos.

Agora, essa linha de desenvolvimento poderá ter que dar marcha-a-ré: uma pesquisa realizada na Inglaterra mostrou que os motoristas não estão satisfeitos com o silêncio dos seus carros.

Preocupadas em não desagradar ninguém, conquistando cada nicho de mercado, os fabricantes decidiram financiar uma outra pesquisa para descobrir exatamente qual o barulho seus clientes desejam ouvir nos carros.

Ronco agradável

Engenheiros da Universidade de Warwick começaram a trabalhar em parceria com especialistas da empresa Sound and Vibration Technology Ltd., justamente para descobrir exatamente quais "roncos" são o sonho de consumo dos potenciais clientes de automóveis.

A maioria das montadoras de automóveis já se inscreveu para participar dos trabalhos.

Para a pesquisa, os engenheiros construíram um simulador de desempenho de veículos, montado dentro de uma cabine de automóvel.

As várias condições de dirigibilidade são escolhidas pelos voluntários pesquisados. A seguir, eles ouvem uma série de ruídos, principalmente de motores.

Ou seja, não basta ouvir o som do motor: os clientes querem ouvir um determinado tipo de som de motor. Os sons foram selecionados a partir de carros já produzidos.

Barulhos para segurança

Se for necessário, para agradar seus clientes, as empresas irão desenvolver sistemas que simularão sons de Corvette ou Porsche em pequenos carros "mil".

Mas há questões mais sérias em jogo, principalmente ligadas à segurança.

Os engenheiros estão preocupados sobre como os pedestres reagirão aos veículos híbridos e elétricos, ainda mais silenciosos. Sem qualquer som que avise ao pedestre da aproximação de um carro, pode haver sérias implicações de segurança e aumento do número de acidentes.

Por isto, a pesquisa também está considerando a criação de sons artificiais externos, simulando aqueles que os pedestres estão acostumados a ouvir.





Outras notícias sobre:

    Mais Temas