Eletrônica

Adesivos eletrônicos dão inteligência a qualquer objeto

Adesivos eletrônicos colocam qualquer coisa na internet
Qualquer objeto pode receber "poderes eletrônicos", para detectar seu ambiente ou ser controlado remotamente. [Imagem: Chi Hwan Lee/Purdue University]

Poderes eletrônicos

Esta parece ser a realização de todos os sonhos de quem está trabalhando para viabilizar a internet das coisas, onde todos os objetos, da geladeira aos enfeites de mesa, serão equipamentos plugados na internet.

Uma equipe das universidades Purdue e da Virgínia, nos EUA, criaram circuitos eletrônicos de película fina que podem ser aplicados e removidos de uma superfície à vontade.

A técnica não apenas elimina várias etapas de fabricação da microeletrônica tradicional - e seus custos associados -, como também permite que qualquer objeto receba "poderes eletrônicos", para detectar seu ambiente ou ser controlado remotamente, por exemplo.

Para isso, bastará aplicar sobre a coisa que se quer plugar na internet um adesivo de alta tecnologia, dotado dos circuitos projetados para lhe dar a funcionalidade que você precisa.

Assim, bilhões de objetos, de celulares e relógios até prédios, peças de máquinas e aparelhos médicos podem ser convertidos em sensores sem fio de seus ambientes, expandindo a rede da internet das coisas.

"Nós podemos personalizar um sensor, colocá-lo em um drone e enviar o drone para áreas perigosas para detectar vazamentos de gás, por exemplo," disse o professor Chi Hwan Lee.

Adesivos eletrônicos

A maioria dos circuitos eletrônicos atuais é construída individualmente em sua própria bolacha (wafer) de silício, um substrato plano e rígido.

O material pode suportar as altas temperaturas e a corrosão química que são usadas para remover os circuitos da bolacha, não não sem danos, forçando o processo de fabricação a usar uma bolacha inteiramente nova a cada vez.

A nova técnica de fabricação, chamada de "transferência por impressão", usa um único wafer para construir um número quase infinito de películas contendo circuitos eletrônicos. Em vez de altas temperaturas e produtos químicos, o filme pode descolar a temperatura ambiente com a ajuda de água.

Uma camada de metal dúctil, como o níquel, inserida entre o filme eletrônico e a pastilha de silício, torna possível o descascamento na água. Esses eletrônicos de filme fino podem ser recortados e colados em qualquer superfície, provendo o objeto de recursos eletrônicos.

Colocar um dos adesivos em um vaso de flores, por exemplo, fez com que o vaso de flores fosse capaz de detectar mudanças de temperatura que poderiam afetar o crescimento da planta - ou seja, os usos são virtualmente infinitos.

Bibliografia:

Wafer-recyclable, environment-friendly transfer printing for large-scale thin film nanoelectronics
Dae Seung Wie, Yue Zhang, Min Ku Kim, Bongjoong Kim, Sangwook Park, Young-Joon Kim, Pedro P. Irazoqui, Xiaolin Zheng, Baoxing Xu, Chi Hwan Lee
Proceedings of the National Academy of Sciences
Vol.: 201806640
DOI: 10.1073/pnas.1806640115




Outras notícias sobre:

    Mais Temas