Logotipo do Site Inovação Tecnológica





Espaço

Asteroide Vesta é um protoplaneta que não se desenvolveu

Redação do Site Inovação Tecnológica - 10/05/2012

Asteroide Vesta é um proto-planeta que não se desenvolveu
A complexidade geológica do asteroide pode ser atribuída a um processo que separou o asteroide em crosta, manto e um núcleo de ferro com um raio de aproximadamente 110 km.
[Imagem: NASA/JPL-Caltech]

Protoplaneta

Dados da sonda espacial Dawn (Aurora) confirmaram que o asteroide gigante Vesta é um protoplaneta, um planeta que não se desenvolveu totalmente, ficando literalmente congelado no tempo.

Ao interpretar os dados da sonda, os cientistas também concluíram que o asteroide é a fonte de um tipo de meteorito que cai eventualmente na Terra, conhecido como HED, iniciais de howardita, eucrita e diogenita, os principais minerais em sua composição.

A sonda da NASA está orbitando o asteroide desde Julho do ano passado.

Vesta é o segundo asteroide mais massivo no nosso sistema solar. Como se desconfiava, ele é um pequeno protoplaneta que estacionou no tempo desde a formação do nosso Sistema Solar.

Na edição desta semana da revista Science, nada menos do que seis artigos científicos apresentam resultados da análise dos dados iniciais da Dawn.

Origem dos meteoritos HED

Vesta parece ter crescido durante os primeiros milhões de anos da formação do Sistema Solar, e então se diferenciado para formar um núcleo de ferro que pode até ter chegado a sustentar um dínamo magnético.

Asteroide Vesta é um proto-planeta que não se desenvolveu
Os dados mostram que Vesta é mais parecido com os planetas do que com os demais asteroides do Sistema Solar.
[Imagem: NASA/JPL-Caltech/UCLA]

Uma gigantesca cratera no pólo sul de Vesta, conhecida como cratera de impacto Rheasilvia, é grande o suficiente para ter gerado os meteoritos HED encontrados pelo Sistema Solar - os cientistas especulam que eles também podem ter-se originado de corpos associados ao Vesta, conhecidos como vestoides.

Além disso, a superfície de Vesta, que contém mais variações de cores do que a maioria dos asteroides, revela os mesmos minerais encontrados nos meteoritos HED.

Asteroide em camadas

Os pesquisadores sugerem que o grande tamanho do Vesta e seu suposto núcleo de ferro poderiam ajudar a explicar como esse protoplaneta sobreviveu às duras condições do espaço por tanto tempo.

A complexidade geológica do asteroide pode ser atribuída a um processo que separou o asteroide em crosta, manto e um núcleo de ferro com um raio de aproximadamente 110 km - isso cerca de 4,56 bilhões anos atrás.

Acredita-se que os planetas terrestres e a nossa lua também se formaram de maneira semelhante.

pesquisar.php






Outras notícias sobre:
  • Corpos Celestes
  • Sondas Espaciais
  • Metais e Ligas
  • Mineração

Mais tópicos