Plantão

Cartilha traz recomendações de segurança em redes sociais

Cartilha traz recomendações de segurança em redes sociais
Lançada durante a comemoração do Dia Internacional de Segurança em Informática, a cartilha divide as dicas com foco nas redes mais populares no BrasilNULL, Twitter e Facebook. [Imagem: Divulgação]

Segurança nas redes sociais

As redes sociais são usadas por cerca de 29 milhões de brasileiros. De olho nos riscos que podem ser encontrados nesses ambientes, a organização do Dia Internacional de Segurança em Informática (Disi) disponibilizou em seu site uma cartilha com recomendações de segurança os usuários de redes sociais.

O material foi lançado durante a comemoração do Dia Internacional de Segurança em Informática, na Universidade Federal da Bahia (UFBA).

O texto foi elaborado pelo Centro de Atendimento a Incidentes de Segurança (Cais) da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP/MCT) e divide as dicas com foco nas redes mais populares no Brasil: Orkut, Twitter e Facebook.

Regras de segurança virtual

As principais recomendações e que valem para qualquer site de relacionamento, incluem:

  • Crie senhas com pelo menos oito caracteres, misturando letras, números e sinais. E troque-as com frequência;
  • Muita atenção na hora de aceitar amigos. Tente reconhecer a pessoa pela foto e informações apresentadas. Amigos demais podem indicar um perfil fraudulento;
  • Cuidado com os encurtadores de URL. Você pode, sem saber, ser direcionado para sites maliciosos;
  • E, sobretudo, não divulgue informações pessoais, como endereço, telefones, e- mail e dados bancários.

Órgãos gestores

O Centro de Atendimento a Incidentes de Segurança (Cais) atua na detecção, resolução e prevenção de incidentes de segurança na rede acadêmica nacional, além de elaborar, promover e disseminar práticas de segurança em redes.

Criado em 1997, o órgão também divulga informações e alertas de segurança e participa de organismos internacionais na área.

A RNP - Rede Nacional de Ensino e Pesquisa, é responsável pela introdução da Internet no Brasil, em 1992. Ela opera a rede acadêmica nacional, a rede Ipê. Sua missão é promover o uso inovador de redes avançadas no Brasil.

Mantida pelos ministérios da Ciência e Tecnologia (MCT) e da Educação (MEC), a RNP atua no desenvolvimento e na prestação de serviços em três áreas: infraestrutura de redes de alto desempenho, aplicações avançadas e formação de recursos humanos em redes.

Redes acadêmicas

A rede Ipê é uma infraestrutura de alto desempenho para colaboração e comunicação em educação e pesquisa que alcança os 26 estados e o Distrito Federal, interligando cerca de 600 instituições de ensino superior e de pesquisa e beneficiando mais de um milhão de usuários.

A RNP está conectada às redes acadêmicas latino-americana (RedClara), europeia (Géant) e norte-americana (Internet2), além de ter conexão própria à Internet mundial.

A cartilha de segurança nas redes sociais pode ser baixada no endereço www.rnp.br/eventos/disi.





Outras notícias sobre:

    Mais Temas