Plantão

Cometa ISON pode não ter sido totalmente destruído

Cometa ISON é destruído ao passar pelo Sol
Cometa fênix: novas imagens mostram o que parece ser o resquício do núcleo do ISON, que não havia sido captado nas imagens anteriores. [Imagem: NASA/SDO/ESA/SOHO/GSFC]

ATUALIZAÇÃO - 03/12 09h50

Para novas informações sobre o cometa ISON, veja a reportagem NASA chama Hubble para desvendar destino do cometa ISON

ATUALIZAÇÃO - 02/12 10h00

Depois da vida, morte e ressureição do ex-cometa do século, as agências espaciais estão fazendo um silêncio sepulcral sobre o cometa ISON.

Inicialmente, as sondas da NASA e da ESA perderam o cometa de vista, anunciando sua eventual destruição. Algumas horas depois, contudo, ele reapareceu nas imagens, para logo em seguida começar a perder o brilho novamente.

As estimativas dão conta de que, se alguma parte do núcleo do cometa sobreviveu, deve ter sido um pedaço muito pequeno, anulando as expectativas de que ele pudesse ser visto a olho nu nas próximas semanas.

ATUALIZAÇÃO - 29/11 13h40

No que a NASA classificou como um "comportamento surpreendente", o observatório ISON captou um brilho no que seria a rota do cometa ISON, indicando que uma parte de seu núcleo pode ter sobrevivido.

"Continua em aberto se são meramente detritos do cometa, ou se uma parte do núcleo do cometa sobreviveu," disse a agência em nota.

Astrônomos de todo o mundo continuam monitorando o trajeto e a porção brilhante que reapareceu detrás do Sol. Novas informações serão publicadas assim que disponíveis.

Correção: O título desta matéria foi alterado. O restante do texto (abaixo) continua como originalmente publicado às 08h21.

Cometa ISON é destruído ao passar pelo Sol
O cometa ISON ao se aproximar do Sol, visto pelo observatório SDO. [Imagem: NASA/SDO/ESA/SOHO/GSFC]

Cometa do século

O título de cometa do século vai continuar vago.

O cometa ISON não conseguiu superar seu maior desafio, sendo destruído ao passar nas proximidades do Sol.

Os cálculos dos astrônomos indicavam que, se o ISON sobrevivesse a essa etapa de sua órbita, ele poderia brilhar tanto quanto a Lua Cheia.

Todas as agências espaciais e observatórios de todo o mundo viraram seus telescópios para as proximidades do Sol nesta quinta-feira.

Para frustração geral, contudo, o cometa ISON entrou por detrás do Sol mas não apareceu do outro lado.

Decepção do século

Cometa ISON é destruído ao passar pelo Sol
E o que restou dele, um fino jato de poeira visto no no canto superior esquerdo da imagem. [Imagem: NASA/SDO/ESA/SOHO/GSFC]

As sondas SDO (Solar and Heliospheric Observatory), da NASA detectaram uma fina poeira aparecendo onde o cometa deveria surgir, os prováveis resquícios de sua cauda ou detritos do seu núcleo.

Calcula-se que o ISON tenha sido submetido a temperaturas acima dos 2.000 graus Celsius, além dos intensos efeitos de maré gravitacional pela proximidade do Sol.

Tudo indica que seu destino foi o mesmo do cometa Lovejoy, que se despedaçou ao passar nas proximidades do Sol em 2011.





Outras notícias sobre:

    Mais Temas