Espaço

Descoberta uma constante fundamental do Sol

Descoberta uma constante fundamental do Sol
Estrelas não envolvem apenas luz e magnetismo - o som desempenha um papel fundamental. [Imagem: Richard J. Morton et al./10.1038/s41550-018-0668-9]

O som que emana das estrelas

As ondas magnéticas do Sol comportam-se de maneira diferente do que as atuais teorias propõem, garantem Richard Morton e seus colegas da Universidade Northumbria, no Reino Unido.

Depois de examinar dados coletados ao longo de um período de 10 anos, eles constataram que as ondas magnéticas na coroa do Sol -, ou corona, sua camada mais externa - reagem às ondas sonoras que escapam do interior do Sol.

Essas ondas magnéticas, conhecidas como ondas de Alfvén (Hannes Alfvén [1908-1995]), desempenham um papel crucial no transporte de energia ao redor do Sol e do sistema solar, por meio do vento solar.

Constante fundamental do Sol

Os cientistas acreditavam até agora que as ondas de Alfvén se originariam na superfície do Sol, onde o hidrogênio em ebulição atinge temperaturas de 6.000º C e agita o campo magnético do Sol.

No entanto, os dados revelaram evidências de que essas ondas magnéticas também reagem - ou são excitadas - mais alto na atmosfera por ondas sonoras que vazam do interior do sol.

Mais importante, a equipe descobriu que as ondas sonoras deixam um marcador distintivo nas ondas magnéticas. Essa "assinatura" significa que toda a coroa do Sol está tremendo de forma coletiva em resposta às ondas sonoras que emanam do interior do astro, gerando uma vibração em uma faixa muito clara de frequências.

Este marcador foi encontrado em toda a corona e se mostrou consistentemente presente ao longo dos 10 anos analisados.

Isto sugere, defendem os autores, que essa assinatura é uma "constante fundamental do Sol". E, por decorrência, pode ser também uma constante fundamental de outras estrelas.

Classificação das estrelas

Se os dados se confirmarem, esta descoberta deverá ter implicações significativas para as teorias sobre como a energia magnética é transferida e usada pelas atmosferas estelares, com implicações diretas sobre como são vistas e previstas as tempestades solares e o clima espacial como um todo.

"Isso pode levar a uma nova maneira de examinar e classificar o comportamento de todas as estrelas sob essa assinatura única. Nós agora sabemos que a assinatura está lá, então podemos procurá-la em outras estrelas. Nossas evidências mostram que as oscilações acústicas internas do Sol desempenham um papel significativo na excitação das ondas magnéticas alfvénicas. Isto pode dar às ondas propriedades diferentes e sugere que elas são mais suscetíveis a uma instabilidade, o que poderia levar a ventos solares mais quentes e mais rápidos," prevê o professor Richard Morton, coordenador da equipe.

Bibliografia:

A basal contribution from p-modes to the Alfvénic wave flux in the Sun’s corona
Richard J. Morton, Micah J. Weberg, James A. McLaughlin
Nature Astronomy
DOI: 10.1038/s41550-018-0668-9




Outras notícias sobre:

    Mais Temas