Logotipo do Site Inovação Tecnológica





Espaço

Descoberta estrela que pulsa de um lado só

Redação do Site Inovação Tecnológica - 10/03/2020

Descoberta estrela que pulsa de um lado só
A pulsação unilateral da estrela faz com que ela tenha o formato de uma gota.
[Imagem: Gabriel Pérez Díaz (IAC)]

Novo tipo de estrela pulsante

Duas equipes de astrônomos descreveram pela primeira vez uma estrela incomum, uma estrela binária que pulsa de um lado só.

A estrela que pulsa de apenas um lado está aqui mesmo na Via Láctea, a cerca de 1.500 anos-luz da Terra. Seu nome é HD74423 e ela tem 1,7 vezes a massa do Sol.

É o primeiro corpo celeste desse tipo a ser encontrado, embora os astrônomos esperem agora encontrar outros sistemas similares, à medida que a tecnologia para sondar o coração pulsante das estrelas melhora.

De fato, os dados vieram de equipamentos só recentemente instalados no Telescópio Europeu do Sul (ESO), no Chile. Estes equipamentos estão sendo usados para o Projeto SPECULOOS, que procura exoplanetas habitáveis orbitando estrelas frias. Dados do TESS, um telescópio espacial caçador de exoplanetas também foram usados.

A descoberta do comportamento incomum da estrela foi feita inicialmente pelo cientista-cidadão - ou astrônomo amador - Thomas Lee Jacobs. Duas equipes então se juntaram para descrever a própria estrela e o binário ao qual ela pertence. Outra novidade é que, por orientações recentes emitidas pelas próprias revistas científicas, os cientistas amadores agora aparecem como coautores dos estudos científicos publicados.

"Sabíamos teoricamente que estrelas como essa deveriam existir desde os anos 1980. Estou procurando uma estrela como essa há quase 40 anos e agora finalmente encontramos uma," comemorou o professor Don Kurtz, da Universidade de Lancashire Central, na Grã-Bretanha.

Estrela que pulsa de um lado só

Estrelas que pulsam são conhecidas há tempos. Nosso próprio Sol dança de acordo com seus próprios ritmos. Essas pulsações rítmicas da superfície estelar ocorrem em estrelas jovens e velhas e podem ter períodos longos ou curtos, uma ampla gama de forças e causas diferentes. E há também exemplos extremos, como os pulsares, e casos anômalos, como o recente encolhimento exagerado da superestrela Betelgeuse

No entanto, há uma coisa que todas as estrelas pulsantes apresentavam em comum até agora: as oscilações sempre foram visíveis em todos os lados da estrela. Essa nova estrela oscila amplamente em apenas um hemisfério.

Os astrônomos identificaram a causa da pulsação unilateral incomum: A estrela está localizada em um sistema binário, junto com uma anã vermelha. Sua companheira próxima distorce as oscilações pela ação de sua força gravitacional.

O período orbital do sistema binário, de menos de dois dias, é tão curto que a estrela maior está sendo distorcida em uma forma de lágrima pela força gravitacional da sua companheira.

Bibliografia:

Artigo: Tidally trapped pulsations in a close binary star system discovered by TESS
Autores: G. Handler, D. W. Kurtz, S. A. Rappaport, H. Saio, J. Fuller, D. Jones, Z. Guo, S. Chowdhury, P. Sowicka, F. Kahraman Aliçavus, M. Streamer, S. J. Murphy, R. Gagliano, Thomas Lee Jacobs, A. Vanderburg
Revista: Nature Astronomy
DOI: 10.1038/s41550-020-1035-1

Artigo: An eclipsing substellar binary in a young triple system discovered by SPECULOOS
Autores: Amaury H. M. J. Triaud, Adam J. Burgasser, Artem Burdanov, Vedad Kunovac Hodzic, Roi Alonso, Daniella Bardalez Gagliuffi, Laetitia Delrez, Brice-Olivier Demory, Julien de Wit, Elsa Ducrot, Frederic V. Hessman, Tim-Oliver Husser, Emmanuël Jehin, Peter P. Pedersen, Didier Queloz, James McCormac, Catriona Murray, Daniel Sebastian, Samantha Thompson, Valérie Van Grootel, Michaël Gillon
Revista: Nature Astronomy
DOI: 10.1038/s41550-020-1018-2





Outras notícias sobre:
  • Corpos Celestes
  • Telescópios
  • Exploração Espacial
  • Universo e Cosmologia

Mais tópicos