Logotipo do Site Inovação Tecnológica





Plantão

Superestrela Betelgeuse está prestes a explodir?

Com informações do ESO - 15/02/2020

Betelgeuse está prestes a explodir?
A mudança da estrela em apenas um ano não tem precedentes.
[Imagem: ESO/M. Montargès et al.]

Estrela encolhendo

O telescópio VLT, no Chile, capturou a diminuição de brilho de Betelgeuse, uma estrela supergigante vermelha localizada na constelação de Órion.

O fenômeno vem colocando os astrônomos em polvorosa. Embora a estrela sempre apresentasse pulsações, sua diminuição de brilho agora atingiu níveis sem precedentes.

As novas imagens da superfície da estrela mostram não apenas que o astro de dimensões descomunais - ela é 1.400 vezes maior do que o Sol - está perdendo brilho, mas também apresenta uma variação da sua forma aparente.

Há cerca de um ano, Betelgeuse vem apresentando uma diminuição de brilho - hoje ela tem apenas 36% do seu brilho normal, uma variação considerável, perceptível até a olho nu.

Tanto os entusiastas da astronomia como os astrônomos estão tentando descobrir o porquê desta diminuição de brilho sem precedentes.

Uma equipe liderada por Miguel Montargès, da Universidade de Leuven, na Bélgica, vem observando a estrela continuamente. As imagens destacam as mudanças que ocorreram na estrela, tanto em brilho como em forma aparente.

Betelgeuse vai explodir?

O que todos se perguntam é se esta diminuição de brilho da Betelgeuse significa que a estrela está prestes a explodir.

Tal como todas as supergigantes, um dia Betelgeuse irá transformar-se em uma supernova, e o processo começa com a estrela se encolhendo devido à sua própria massa colossal conforme vai ficando sem combustível.

Mas a equipe não acredita que isso esteja prestes a acontecer com Betelgeuse, tendo formulado outras hipóteses para explicar o que está causando as variações em forma e brilho observadas nas imagens.

"Os dois cenários em que estamos trabalhando são um arrefecimento da superfície devido a uma atividade estelar excepcional, ou ejeção de poeiras na nossa direção," explicou Montargès. "Claro que o nosso conhecimento de supergigantes vermelhas é ainda incompleto e este é um trabalho em curso, por isso podemos ainda ter alguma surpresa."

A atividade estelar à qual o astrônomo se refere, neste caso, são a convecção e a pulsação. A superfície irregular de Betelgeuse é composta por células convectivas gigantes, que se movem, diminuem e aumentam. E a estrela também apresenta pulsações, tal como o bater de um coração, variando em brilho periodicamente.

Betelgeuse está prestes a explodir?
A superestrela Betelgeuse tem dimensões descomunais, como se pode ver nesta comparação com o Sistema Solar.
[Imagem: ESO/L. Calçada]

Atualização 27/02/20

Novos dados indicam que a estrela começou a recuperar seu brilho. As fontes e causas desta oscilação inédita permanecem desconhecidos.

Betelgeuse está prestes a explodir?
Talvez não desta vez: dados até o final de Fevereiro mostram que Betelgeuse começa a recuperar seu brilho.
[Imagem: Nature - 10.1038/d41586-020-00561-z]






Outras notícias sobre:
  • Corpos Celestes
  • Telescópios
  • Universo e Cosmologia
  • Exploração Espacial

Mais tópicos