Logotipo do Site Inovação Tecnológica





Plantão

NASA seleciona empresas para fabricar módulos de pouso na Lua

Com informações da NASA e BBC - 01/05/2020

NASA seleciona empresas para fabricar módulos de pouso na Lua
A estação lunar Gateway continua nos planos da NASA, mas não ficará pronta para o retorno do homem à Lua.
[Imagem: ESA/NASA/ATG Medialab]

Naves para pousar na Lua

A NASA escolheu três empresas que desenvolverão diferentes conceitos de módulos lunares, as naves que levarão astronautas e pousarão na superfície da Lua.

O plano é enviar o próximo homem e a primeira mulher à Lua em 2024, a serem seguidos por outras missões.

As empresas são Blue Origin, SpaceX e Dynetics, com contratos no valor total de US$ 967 milhões. Os contratos terão uma duração de 10 meses.

Desde que cumpram com o cronograma e tenham êxito em seus testes, as empresas poderão continuar com novos contratos - ou serem desclassificadas, em caso contrário.

Os conceitos vencedores desta etapa adotam diferentes abordagens para colocar os seres humanos na superfície lunar. A NASA não esclareceu se chegará a selecionar uma só empresa ou se prosseguirá em seu programa com diferentes tipos de nave.

"Esta é a primeira vez desde a era Apolo que a Nasa faz um financiamento direto para um sistema de pouso humano, e agora temos empresas contratadas para fazer o trabalho para o programa Artemis," disse o administrador da agência, Jim Bridenstine.

NASA seleciona empresas para fabricar módulos de pouso na Lua
A "Equipe Nacional", liderada pela Blue Origin, construirá um módulo de pouso dividido em três partes.
[Imagem: Blue Origin]

Blue Origin

A Blue Origin teve seu projeto selecionado, mas a empresa atuará em parceria com a Lockheed Martin, Northrop Grumman e Draper para construir seu módulo lunar - a parceria foi batizada de "Equipe Nacional".

O projeto é dividido em três partes: um módulo de transferência, que transportará os astronautas de uma órbita lunar mais alta para uma mais baixa; um estágio de descida, que os levará da órbita lunar baixa para a superfície, e um estágio de subida, que fará a tripulação decolar da superfície no final da missão.

O conceito foi projetado para ser lançado nos sistemas de foguetes New Glenn, da própria Blue Origin, ou Vulcan, da United Launch Alliance (ULA), uma joint-venture da Lockheed Martin e Boeing.

NASA seleciona empresas para fabricar módulos de pouso na Lua
A Dynetics projetou uma nave de perfil baixo que colocará os astronautas perto da superfície para facilitar o acesso.
[Imagem: Dynetics]

Dynetics

O conceito da Dynetics compreende um módulo único, idealizado para ser lançado no foguete Vulcan.

De acordo com Lisa Watson-Morgan, do Centro de Voos Espaciais Marshall, esse design apresenta um "módulo de tripulação único e de perfil baixo, colocando a tripulação muito perto da superfície lunar para transferência e acesso" "

A Dynetics afirma que realizará um voo de demonstração para testar os principais recursos de seu sistema de aterrissagem antes de uma missão na superfície lunar.

NASA seleciona empresas para fabricar módulos de pouso na Lua
A SpaceX pretende usar um elevador para descer os astronautas até o solo.
[Imagem: SpaceX]

Starship

O design da SpaceX é a Starship, que usará o foguete Super Heavy da empresa para lançamento. Um protótipo da nave já está sendo testado pela empresa em Boca Chica, no sul do Texas.

A SpaceX incluiu planos para um pouso de teste não tripulado na Lua em sua proposta para a Nasa.

Estação Lunar

Os outros elementos-chave do plano da Nasa para explorar a Lua estão mais adiantados em seu desenvolvimento. Os astronautas com destino à Lua serão lançados da Terra em uma cápsula chamada Órion, uma versão modernizada das naves da missão Apolo, impulsionada por um foguete conhecido como Sistema de Lançamento Espacial (SLS).

A agência espacial também planeja construir uma pequena estação espacial em órbita lunar, conhecida como Gateway, onde a Órion poderia atracar e diferentes estágios de aterrissagem poderiam ser montados antes da jornada para a superfície lunar.

No entanto, no mês passado a agência anunciou que a Gateway havia sido removida do "caminho crítico" para a missão de 2024. Mas, durante a coletiva de imprensa que anunciou as empresas selecionadas para fabricar os módulos lunares, Bridenstine reafirmou que a agência mantém o projeto da Gateway, embora não seja provável que ela venha a ser usada pela missão Artemis-3, daqui a quatro anos.






Outras notícias sobre:
  • Exploração Espacial
  • Foguetes
  • Sondas Espaciais
  • Universo e Cosmologia

Mais tópicos