Meio ambiente

Poluição é muito mais variável do que se pensava

Poluição é muito mais variável do que se pensava
A poluição é dinâmica, variando em até 70% no mesmo local de um dia para o outro. [Imagem: Jenna C. Ditto et al. - 10.1038/s42004-018-0074-3]

Aerossóis orgânicos

Os aerossóis - partículas em suspensão no ar - têm uma presença significativa na atmosfera, influenciando o clima e muitas vezes representando riscos para a saúde.

Essas partículas transportadas pelo ar geralmente têm sido classificadas pelos cientistas em duas categorias: Aerossóis orgânicos primários, que podem se formar durante a combustão, como nos motores de carros e caminhões e nas termoelétricas, e aerossóis orgânicos secundários, que resultam da oxidação de gases orgânicos e partículas já no ar.

Agora, contudo, pesquisadores descobriram que essa poluição do ar é muito mais complicada do que os estudos anteriores indicavam.

Usando uma combinação de cromatografia líquida, que separa milhares de compostos em uma amostra, e espectrometria de massa, que identifica e analisa esses compostos, Jenna Ditto e seus colegas da Universidade de Yale, nos EUA, obtiveram uma visão detalhada da composição molecular dos aerossóis orgânicos.

Isso é um avanço significativo porque saber quais elementos nocivos estão no ar é fundamental para encontrar maneiras de reduzi-los.

"Se você desenvolver uma política de controle da poluição do ar baseada em informações menos específicas para o aerossol orgânico, pode haver muito mais variabilidade na composição molecular do que você poderia esperar, o que poderia influenciar as propriedades e os impactos do aerossol," disse Ditto.

Poluição dinâmica

As amostras foram coletadas ao longo de três semanas em cada local, de uma floresta no estado de Michigan aos ambientes urbanos de Atlanta e Nova York.

O mais surpreendente, disseram os pesquisadores, foram as variações nas amostras retiradas dos mesmos locais ao longo das três semanas: Na maioria dos casos, até 70% dos compostos em um local eram distintos um do outro em amostras consecutivas, mostrando que a poluição é incrivelmente dinâmica.

Esta é uma surpresa para a qual ainda não há explicações definitivas. "Os diferentes tipos de compostos emitidos por carros e plantas podem variar de carro para carro ou de árvore para árvore," sugere Ditto, aparentemente negligenciando fatores como vento e umidade que se condensa todas as noites.

Outros fatores, como padrões climáticos e condições de oxidação química, também podem variar. Individualmente, essas variações são geralmente pequenas, mas podem resultar em diferenças significativas nos compostos, disseram os pesquisadores.

A equipe afirma que continuará a analisar os dados mais detalhadamente para tentar ter uma ideia melhor de quais tipos de efeitos climáticos e de saúde essas variabilidades na poluição podem induzir.

Bibliografia:

An omnipresent diversity and variability in the chemical composition of atmospheric functionalized organic aerosol
Jenna C. Ditto, Emily B. Barnes, Peeyush Khare, Masayuki Takeuchi, Taekyu Joo, Alexander A. T. Bui, Julia Lee-Taylor, Gamze Eris, Yunle Chen, Bernard Aumont, Jose L. Jimenez, Nga Lee Ng, Robert J. Griffin, Drew R. Gentner
Communications Chemistry
Vol.: 1, Article number: 75
DOI: 10.1038/s42004-018-0074-3




Outras notícias sobre:

    Mais Temas