Mecânica

Rumo aos caminhões elétricos, é melhor trocar o diesel por um motor flex

Redação do Site Inovação Tecnológica - 14/05/2019

Rumo aos caminhões elétricos, é melhor trocar o diesel por um motor flex
Os caminhões sem caminhoneiro vão estrear dentro das fábricas, onde o ambiente é mais controlado. Já os caminhões elétricos têm um futuro ainda não totalmente delineado.[Imagem: Fraunhofer IVI]

Caminhões híbridos

Enquanto os carros elétricos avançam mercado adentro rapidamente, tem havido um enorme esforço para definir como fabricar caminhões elétricos ou mesmo híbridos.

Livrar-se dos caminhões a diesel é problemático por várias razões, mas sobretudo porque os motores saem caros demais e as baterias roubam espaço precioso das cargas.

Engenheiros do MIT, nos EUA, acreditam ter encontrado o roteiro ideal para superar esses desafios.

Para Daniel Cohn e Leslie Bromberg, os caminhões do futuro deverão ser híbridos, mas trocando o motor diesel por um motor a gasolina ou etanol.

O conceito envolve o uso de um sistema de motorização híbrida no qual o caminhão é alimentado principalmente por baterias e impulsionado por motores elétricos.

Mas um motor de ignição por centelha, como o dos carros - o motor diesel funciona por compressão -, permitiria aos caminhões viajar pelas mesmas distâncias dos atuais caminhões a diesel convencionais, isto é, não haveria perda de autonomia.

Caminhão flex-elétrico

Embora não neguem que o objetivo final seja alimentar os caminhões inteiramente com baterias, os pesquisadores afirmam que essa opção híbrida e flex poderia fornecer um caminho para superar as preocupações sobre autonomia, custo ou a necessidade de peso excessivo das baterias - de 10 a 15 toneladas de baterias para um caminhão padrão.

Além disso, usando uma configuração flex, que permite funcionar com gasolina, etanol, metanol ou uma mistura destes, esses motores têm o potencial de emitir menos gases de efeito estufa do que os motores a diesel e mesmo aqueles a gasolina puros, sendo que o custo incremental para torná-los flexíveis do ponto de vista do combustível é muito pequena.

Cohn e Bromberg fizeram uma análise detalhada da engenharia e dos aspectos econômicos envolvidos no desenvolvimento de um motor flex para caminhões para atender às necessidades das transportadoras em condições reais de operação.

A modelagem computacional de toda uma gama de características do motor, combinada com a triagem dos resultados usando um sistema de inteligência artificial, forneceu indicações claras dos caminhos mais promissores e mostrou que substituir o motor diesel por um conjunto híbrido flex-elétrico é de fato prática e financeiramente viável.

Bibliografia:

Flex Fuel Gasoline-Alcohol Engine for Near Zero Emissions Plug-In Hybrid Long-Haul Trucks
Daniel Cohn, Leslie Bromberg
SAE Technical Paper
Vol.: 2019-01-0565
DOI: 10.4271/2019-01-0565




Outras notícias sobre:

    Mais Temas