Logotipo do Site Inovação Tecnológica





Plantão

Supercondutor é encontrado em meteorito

Redação do Site Inovação Tecnológica - 25/03/2020

Supercondutor é encontrado em meteorito
O meteorito Mundrabilla possui compostos supercondutores naturais, formados em algum lugar no espaço.
[Imagem: WA Museum]

Supercondutividade em meteoritos

Pesquisadores da Universidade da Califórnia de San Diego encontraram uma liga supercondutora em dois meteoritos.

Materiais supercondutores transmitem eletricidade sem perdas e prometem revolucionar tudo, da transmissão de energia aos motores elétricos.

Metais como nióbio, chumbo e mercúrio são supercondutores quando são resfriados até perto do zero absoluto. Mas hoje já são conhecidos vários materiais supercondutores artificiais, na forma de compostos à base de cobre, ferro e outros. Mas mesmo os mais viáveis deles, conhecidos como "supercondutores de alta temperatura", só atingem essa fase a temperaturas criogênicas, por volta de -139 °C.

A descoberta de um material supercondutor natural, como o encontrado agora, pode ajudar nas pesquisas rumo à supercondutividade a temperatura ambiente. E, claro, anima os adeptos da mineração espacial.

"Os meteoritos se formam sob temperaturas e pressões extremas, além das capacidades de qualquer laboratório na Terra. Assim, eles são lugares férteis para se procurar novos compostos exóticos," disse o professor Ivan Schuller, coordenador da equipe.

Supercondutor e compreensão cósmica

Os compostos supercondutores, à base de chumbo, índio e estanho, foram encontrados em dois meteoritos: Mundrabilla, um meteorito ferroso de 10 toneladas, encontrado na Austrália em 1911, e o GRA 95205, um meteorito carbonáceo encontrado na Antártica em 1995.

Até hoje só se conhecia uma fonte natural de supercondutividade, um mineral chamado covelita, um sulfeto de cobre encontrado no Monte Vesúvio. A descoberta de compostos supercondutores em dois tipos tão diferentes de meteorito mostra que o fenômeno pode ser mais comum do que se pensava.

"Se [a supercondutividade] está nos meteoritos, ela está em todo lugar. Há um monte de lugares no Universo mais frios do que 5 Kelvin," comentou o pesquisador James Wampler.

A descoberta pode ajudar também no entendimento de vários ambientes astronômicos, uma vez que a presença de partículas supercondutoras pode afetar a formação e a química dos planetas e estrelas, a forma e a origem dos campos magnéticos, o movimento das partículas carregadas e muito mais.

Bibliografia:

Artigo: Superconductivity found in meteorites
Autores: James Wampler, Mark Thiemens, Shaobo Cheng, Yimei Zhu, Ivan K. Schuller
Revista: Proceedings of the National Academy of Sciences
DOI: 10.1073/pnas.1918056117





Outras notícias sobre:
  • Supercondutores
  • Corpos Celestes
  • Geração de Energia
  • Magnetismo

Mais tópicos