Logotipo do Site Inovação Tecnológica





Espaço

Físicos anunciam técnica para detectar um buraco de minhoca

Redação do Site Inovação Tecnológica - 04/11/2019

Técnica para detectar um buraco de minhoca
Se há duas estrelas, uma de cada lado do buraco de minhoca, a estrela do nosso lado deve sentir a influência gravitacional da estrela que está do outro lado.
[Imagem: Nicolle R. Fuller/NSF]

Como encontrar um buraco de minhoca

A existência dos buracos de minhoca é prevista pela teoria, mas sua existência real continua em debate. Portanto, uma receita prática para detectar esses caminhos cósmicos parece ser uma ótima notícia.

Os buracos de minhoca podem conectar uma área do nosso Universo a um local diferente - ou a um tempo diferente - em nosso próprio Universo, ou mesmo a um universo completamente diferente, defendem alguns.

O que De-Chang Dai (Universidade de Yangzhou, na China) e Dejan Stojkovic (Universidade de Búfalo, nos EUA) se deram conta é que, se há um caminho aberto, então o entorno da entrada do buraco de minhoca deve ser de algum modo influenciado pelo que está do outro lado - e essas influências podem ser detectadas.

"Se um buraco de minhoca conecta suavemente dois espaços-tempos diferentes, então o fluxo não pode ser conservado separadamente em nenhum desses espaços individualmente. Então, objetos que se propagam nas proximidades de um buraco de minhoca em um espaço devem sentir a influência de objetos que se propagam no outro espaço. Mostramos isso nos casos dos campos escalar, eletromagnético e gravitacional.

"O caso da gravidade é talvez o mais interessante. Nomeadamente, estudando as órbitas das estrelas ao redor do buraco negro no centro da nossa galáxia, em breve poderemos dizer se esse buraco negro abriga um buraco de minhoca atravessável," escreve a dupla.

Técnica para detectar um buraco de minhoca
Acredita-se existir um enorme buraco negro, chamado Sagitário A*, no centro da Via Láctea.
[Imagem: NASA/ESA/STScl/JHU]

Técnica para detectar um buraco de minhoca

Então, vamos à receita prática proposta pelos dois físicos.

Eles sugerem procurar um buraco de minhoca em torno de Sagitário A*, um objeto que se acredita ser um buraco negro supermassivo no coração da Via Láctea. Embora não haja evidências de um buraco de minhoca lá, é um bom lugar para procurar por um porque se espera que os buracos de minhoca exijam condições gravitacionais extremas, como as presentes em buracos negros supermassivos.

Se existe um buraco de minhoca em Sagitário A*, as estrelas próximas seriam influenciadas pela gravidade das estrelas no outro extremo da passagem. Como resultado, seria possível detectar a presença de um buraco de minhoca procurando pequenos desvios na órbita esperada dessas estrelas.

"Se você tem duas estrelas, uma de cada lado do buraco de minhoca, a estrela do nosso lado deve sentir a influência gravitacional da estrela que está do outro lado. O fluxo gravitacional passará pelo buraco de minhoca. Portanto, se você mapear a órbita esperada de uma estrela em torno de Sagitário A*, você deve ver desvios dessa órbita se houver um buraco de minhoca com uma estrela do outro lado," detalha Stojkovic.

A dupla recomenda que a busca comece procurando perturbações no caminho de S2, uma estrela que os astrônomos observaram orbitando Sagitário A*.

Embora as técnicas atuais ainda não sejam precisas o suficiente para revelar a presença de um buraco de minhoca, Stojkovic afirma que a coleta de dados de S2 por um longo período de tempo, ou o desenvolvimento de técnicas para rastrear seu movimento com mais precisão, tornariam essa detecção possível.

Esses avanços não estão muito longe e podem acontecer dentro de uma ou duas décadas, diz Stojkovic.

Bibliografia:

Artigo: Observing a wormhole
Autores: De-Chang Dai, Dejan Stojkovic
Revista: Physical Review D
Vol.: 100, 083513
DOI: 10.1103/PhysRevD.100.083513






Outras notícias sobre:
  • Universo e Cosmologia
  • Corpos Celestes
  • Telescópios
  • Exploração Espacial

Mais tópicos