Logotipo do Site Inovação Tecnológica





Espaço

Sonda irá mostrar Marte como ele nunca foi visto antes

Redação do Site Inovação Tecnológica - 09/08/2005

Sonda irá mostrar Marte como ele nunca foi visto antes

Parte amanhã, do Centro Espacial Kennedy, rumo a Marte, a sonda espacial Mars Reconnaissance Orbiter (MRO), que, sozinha, obterá mais dados do planeta vermelho do que todas as missões anteriores juntas, aí incluídos os robôs Spirit e Opportunity, que continuam em sua missão exploratória há mais de 18 meses.

A sonda irá examinar detalhes da superfície marciana que vão desde a formação da camada superior de sua atmosfera, até as camadas formadoras do seu subsolo. Os pesquisadores utilizarão esses dados para tentar entender a história e a distribuição da água em Marte. Ela também irá definir áreas de pouso para futuras missões e oferecer um canal de comunicação de alta capacidade de dados a essas missões.

A MRO (Mars Reconnaissance Orbiter) leva seis instrumentos para analisar a atmosfera, a superfície e o subsolo, devendo não apenas descrever como o planeta é hoje, mas também como ele se modificou ao longo do tempo.

Um conjunto de três câmeras formam a maior câmera telescópica já enviada a outro planeta, sendo capaz de revelar detalhes da superfície do planeta do tamanho de uma mesa de escritório. Outra câmera de alta definição tirará fotografias com uma resolução 10 vezes superior às melhores obtidas até hoje. Uma terceira câmera obterá imagens exatas das estações e do comportamento do tempo.

Os outros três instrumentos são: um espectrômetro - para identificar minerais relacionados com a água; um radar de sub-superfície - para procurar por camadas subterrâneas de gelo e água; e um radiômetro - para monitorar a poeira atmosférica, o vapor d'água e a temperatura.

Duas experiências científicas adicionais irão analisar o movimento da sonda espacial em órbita, para estudar a estrutura da atmosfera superior e o campo gravitacional de Marte.

A sonda MRO chegará a Marte em Março de 2006. Ela irá ajustar gradualmente o formato de sua órbita por meio de "aerofreios", uma técnica que utiliza a fricção de mergulhos precisos da sonda na atmosfera superior do planeta. Para a fase científica primária, que se iniciará em Novembro de 2006, a órbita será de apenas 300 quilômetros de altitude, 20% mais baixo do que as sondas que orbitaram Marte anteriormente.

Para enviar suas informações para a Terra, a MRO leva a maior antena já enviada a Marte, além de um transmissor capaz de enviar 10 vezes mais dados por minuto do que a mais rápida sonda que já esteve no planeta. Essa alta capacidade de enviar dados irá permitir que os cientistas obtenham imagens e medições do planeta em uma resolução muito superior às obtidas até hoje. O conjunto de transmissor e antena poderá também ser utilizado pelos robôs Spirit e Opportunity, caso eles continuem funcionando até lá.

Para levar tantos equipamentos, a sonda MRO irá exigir a utilização, pela primeira vez em uma missão rumo a outro planeta, do poderoso foguete Atlas V. A MRO pesa mais de duas toneladas.







Outras notícias sobre:
  • Marte
  • Sondas Espaciais
  • Robôs Espaciais
  • Exploração Espacial

Mais tópicos