Logotipo do Site Inovação Tecnológica





Espaço

Radiador microscópico vira pele de satélite

Redação do Site Inovação Tecnológica - 15/03/2006

Radiador microscópico vira pele de satélite

Cientistas ligados à NASA desenvolveram um novo radiador tão pequeno que seus componentes somente são visíveis sob o microscópio. O componente, batizado de Vari-E ("Variable Emittance Coatings for Thermal Control") é baseado na tecnologia de sistemas microeletromecânicos (MEMS).

O radiador microscópico está sendo utilizado em um dos três satélites do projeto ST5 ("Space Technology 5"), que deverá ser lançado ao espaço entre hoje e amanhã. O ST5 consiste em três microsatélites, lançados no mesmo foguete, encarregados de testar várias novas tecnologias para equipar os futuros satélites e naves espaciais da NASA.

O pequeno radiador contém 36 chips, cada um do tamanho de uma tecla de computador. Olhando esses chips sob o microscópio, é possível ver 72 segmentos em formato de veneziana, cada um movimentado prá frente e prá trás por seis minúsculos motores, controlados por uma fonte de energia eletrostática localizada no interior do satélite.

Para demonstrar o funcionamento do radiador, ele foi montado como uma espécie de "pele" do microsatélite. "É [...] a primeira demonstração da tecnologia MEMS utilizada no controle ativo de temperatura," diz o coordenador dos cientistas, Dr. Ann Darrin

Sobre uma seção de 10 centímetros quadrados no topo do microsatélite, os minúsculos motores alimentados por energia eletrostática irão abrir e fechar as minúsculas venezianas do radiador, de forma a manter constante a temperatura no interior do satélite. "À medida em que diminuímos o tamanho dos satélites e de seus sistemas, torna-se mais difícil regular e manter a temperatura constante. Colocando esses equipamentos no lado de fora, como uma pele do satélite, você pode alterar sua emissividade," explica Darrin.







Outras notícias sobre:
  • MEMS
  • Refrigeração
  • Foguetes
  • Exploração Espacial

Mais tópicos