Nanotecnologia

Cientistas anunciam raios-X a partir de nanotubos

Raios de nanotubos

Cientistas da Universidade da Carolina do Norte (Estados Unidos), anunciaram a criação de dispositivos emissores de raios X a partir de nanotubos, o que poderá resultar em equipamentos médicos portáteis, com pequeno consumo de energia e longa vida útil.

O funcionamento é o mesmo que o dos equipamentos de raios-X tradicionais, nos quais um feixe de elétrons altamente energizados atinge uma placa de metal, fazendo com que os átomos da placa metálica emitam raios-X.

O experimento mostrou-se capaz de emitir raios-X suficientes para criar imagens de extremidades do corpo humano, como as mãos, por exemplo.

A grande vantagem de se usar nanotubos de carbono é que os dispositivos construídos a partir deles poderão trabalhar a temperatura ambiente, ao contrário dos 1500º C ou mais verificados nos equipamentos tradicionais.

Raios X de precisão

Devido a esta característica de baixa temperatura, os dispositivos poderão ser mais baratos, mais seguros, consumirão menos energia e produzirão imagens de qualidade mais alta.

E, por trabalharem com estruturas tão pequenas quanto os nanotubos, poderão ser sintonizadas de maneira extremamente precisa, produzindo imagens melhores.

O dispositivo funciona a partir de um disco metálico totalmente recoberto por nanotubos de carbono.

Quando o disco metálico é carregado negativamente, uma tela carregada positivamente, colocada muito próximo ao disco, é capaz de sugar elétrons dos nanotubos. Estes elétrons são dirigidos para uma placa de cobre e, ao atingí-la, causam a emissão de raios-X.

O relatório da experiência foi publicado no jornal Applied Physics Letters.





Outras notícias sobre:

    Mais Temas