Nanotecnologia

Nano-soldagem une nanotubos de carbono

Nano-soldagem une nanotubos de carbono

Pesquisadores do Instituto Politécnico Rensselaer, de Nova Iorque (Estados Unidos), descobriram como soldar nanotubos de carbono, diminutos cilindros de poucos átomos de espessura, que têm mostrado propriedades eletrônicas únicas.

A pesquisa foi conduzida por várias equipes, trabalhando colaborativamente em laboratórios na Alemanha, México, Inglaterra, Bélgica e Estados Unidos. O coordenador é o professor Pulickel Ajayan, do Instituto Rensselaer.

Esta á a primeira vez que nanotubos de parede única foram soldados, embora junções em nanotubos com paredes múltiplas já tivessem sido feitas utilizando-se técnicas de crescimento. As propriedades elétricas dos nanotubos de paredes simples são bastante diferenciadas em relação aos de paredes múltiplas, o que explica o fato de que uma série de outras instituições tenha se interessado em repetir o experimento de nano-soldagem.

"Não se sabia se tais junções poderiam ser criadas", disse o professor Ajayan. "Nanotubos de paredes simples são cilindros perfeitos, sem quaisquer defeitos. Mas, para criar junções entre eles, deve-se criar ligações carbono-carbono entre os tubos. O processo de irradiação e aquecimento que utilizamos cria apenas defeitos o suficiente para formar as junções, sem danos às propriedades elétricas dos nanotubos."

As experiências com a nano-soldagem tiveram êxito somente após vários anos de tentativas. A grande dificuldade reside em encontrar nanotubos que se cruzam e se tocam. Isto é crítico para o início da conexão inter-tubos. "Infelizmente, nós ainda não podemos controlar esse tipo de alinhamento", afirmou Ajayan.

Os pesquisadores utilizaram um microscópio eletrônico especial que tem a capacidade de irradiar e produzir o calor necessário para o experimento. O microscópio de alta-voltagem, localizado em Stuttgart (Alemanha), é um dos poucos deste tipo existentes no mundo.







Outras notícias sobre:

Mais Temas