Nanotecnologia

Doença genética hereditária é detectada por transistores de nanotubos

Pesquisadores da Universidade de Pittsburgh, Estados Unidos, e da empresa Nanomix, desenvolveram componentes nanoscópicos, feitos de nanotubos de carbono, capazes de detectar mutações genéticas causadoras de doenças hereditárias. O método é, segundo eles, mais rápido e mais barato do que as técnicas convencionais.

Os dispositivos feitos de nanotubos de carbono são transistores do tipo NTNFET ("NanoTube Network Field-Effect Transistor"). Os pesquisadores utilizaram as propriedades elétricas do componente para localizar uma mutação genética em particular, causadora da hemocromatose hereditária, uma doença que faz com que se acumule muito ferro no organismo.

"Nossa tecnologia poderá disponibilizar no mercado equipamentos de mão de uso clínico para diagnóstico genético, ao invés de métodos de laboratório que exigem identificações trabalhosas e sofisticados equipamentos ópticos," disse Alexander Star, um dos autores do artigo publicado na revista Proceedings of the National Academy of Science.

Os experimentos mostraram que os transistores de nanotubos de carbono produzem medições com a mesmo precisão que os mais avançados equipamentos ópticos atualmente disponíveis.

Os cientistas agora vão testar seu novo método para o diagnóstico de outras mutações genéticas, causadoras de outras doenças.

Bibliografia:

Label-free detection of DNA hybridization using carbon nanotube network field-effect transistors
Alexander Star, Eugene Tu, Joseph Niemann, Jean-Christophe P. Gabriel, C. Steve Joiner, Christian Valcke
Proceedings of the National Academy of Sciences
2006
Vol.: 103: 921-926
DOI: 10.1073/pnas.0504146103




Outras notícias sobre:

    Mais Temas