Nanotecnologia

Microcápsulas liberam medicamentos em células tumorais

Microcápsulas liberam medicamentos em células tumorais

Ao invés de tomar um comprimido, imagine uma microcápsula que vai até o órgão que precisa de tratamento e somente lá libera a quantidade exata de medicamento necessário. Esta é uma espécie de cálice sagrado na medicina e vem sendo tenazmente perseguida por todos os cientistas que lidam com a nanotecnologia na área médica.

Agora, cientistas do Instituto Max Planck, Alemanha, deram mais um passo rumo a esse objetivo. Eles conseguiram liberar um medicamento de forma controlada em uma célula de um tumor. O medicamento foi colocado em uma minúscula cápsula, que foi aberta com um pulso de laser depois que ela atingiu a área do tumor.

A cápsula, medindo apenas alguns micrômetros de diâmetro, é construída com camadas alternadas de polímeros carregados positivamente e negativamente. Misturando nanopartículas de ouro ou prata aos polímeros, a equipe do Dr. André Skirtach criou uma espécie de "abre-te sésamo" nanotecnológico. Só que, ao invés de mágica, eles utilizaram um pulso de raio laser.

O raio laser infravermelho aquece a superfície da cápsula, causando a quebra das ligações atômicas dos polímeros. A cápsula então se abre e libera o medicamento. Embora os testes ainda estejam sendo feitos em células isoladas, os cientistas acreditam que o princípio poderá ser igualmente utilizado no interior do corpo humano.

O laser não apresenta riscos, já que ele praticamente não é absorvido pelos tecidos. Por outro lado, ele somente consegue penetrar até um centímetro de profundidade, significando que a técnica não poderia ser utilizada para tratar tumores internos.

Os cientistas também terão que obter a colaboração de colegas que estão avançando em outras áreas de pesquisa. Isto porque suas cápsulas ainda não conseguem identificar as células tumorais sozinhas, devendo ser guiadas até o local de destino.

Bibliografia:

Laser-Induced Release of Encapsulated Materials inside Living Cells
Andre G. Skirtach, Amudena Muñoz Javier, Oliver Kreft, Karen Köhler,, Alicia Piera Alberola, Helmuth Möhwald, Wolfgang J. Parak, Gleb B. Sukhorukov
Angewandte Chemie
July 10, 2006
Vol.: Volume 118, Issue 28, Pages: 4728-4733




Outras notícias sobre:

    Mais Temas